collapse

* Links de Robótica

* Posts Recentes

Fonte de corrente regulavel por Njay
[Hoje às 19:22]


Esquema Fonte Bancada por KammutierSpule
[Hoje às 18:21]


Empresas para fabricar e assemblar PCB por Kristey
[Hoje às 16:02]


Tapete para bancada por almamater
[Hoje às 15:34]


Fonte avariada Delta por almamater
[Hoje às 15:08]


Printer 3D barata por Fifas
[Ontem às 18:00]


Circuito para temporizado por beirao
[19 de Janeiro de 2017, 22:42]


Cores de cabos por artur36
[18 de Janeiro de 2017, 19:32]


Hackathon IOT Edp por metRo_
[17 de Janeiro de 2017, 22:54]


diodo ti964? por Hugu
[17 de Janeiro de 2017, 02:23]

Autor Tópico: Construcção de Aerogerador  (Lida 1514 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.

Offline c3dr1c

  • Mini Robot
  • *
  • Mensagens: 846
Construcção de Aerogerador
« em: 29 de Maio de 2013, 23:05 »
Boas.

Como tenho aqui uns imans em casa estava a pensar construir um aerogerador, pela experiência de aprendizagem. Como sao imanes de ferrite, devem ter quase 1kg de força, muito inferiores aos imanes de neodimio. Mas pronto assim não gasto dinheiro :P

Gostava de discutir aqui uns assuntos com vocês. Basicamente resumem-se no seguinte rabisco:



Portanto trata-se de um aerogerador com dois pratos com imanes e no meio destes dois, um prato com as bobines.

Cada prato terá 12 imanes de ferrite com 27x14x7mm, com os polos intercalados... N S N S N S N.

Os imanes têm uma boa distancia lateral entre si para o fluxo do campo magnético não se desviar das bobines.

Ao ter 12 imanes em cada prato, tenho 12 polos. Com 12 polos preciso de no minimo de 500 rpm para uma frequencia de 50hz. Isto é pouco, pois o vento deve gerar uma velocidade média de 300 a 600 rpm. Mas so tenho 24 imanes :P


Pelo que andei a ler deve-se ter o mesmo numero de polos nas bobines. Isto é verdade?

E as bobines como as hei-de construir? Construo como as da direita ou as da esquerda? As da direita, se o iman estiver ao centro da bobine, o topo e o fundo estão sobre o mesmo polo, nao gerando corrente. Mas isto pode ter algum contra?
As da esquerda, o topo e o fundo ja nao ficam sobre o iman e gasta-se um pouco mais de fio esmaltado. Tem vantagens?


Também nao sei que tipo de gerador hei-de construir. Monofásico, bifásico ou trifásico?

Monofásico, face ao bifasico e ao trifásico acho que nao vale a pena.
Bifásico parece-me ser a melhor opção, com 6 bobines em cada fase, ou seja, 12 polos por fase.
Trifásico seria uma boa opção. Teria várias maneiras de ligar as bobines e gerar diferentes tensões, etc...

Mas trifásico, so poderia ter 4 bobines por fase, ou seja, 8 polos.


Cumps



"O único modo de descobrir os limites do possivel é aventurarmo-nos um pouco para além deles em direcção ao impossivel."

Uma das Três Leis de Arthur C. Clarke

Offline c3dr1c

  • Mini Robot
  • *
  • Mensagens: 846
Re: Construcção de Aerogerador
« Responder #1 em: 10 de Junho de 2013, 19:48 »
Bem andei a pesquisar as minhas duvidas e aqui vão as respostas :P

Vou construir um gerador bifásico, penso que seja uma boa aposta. Ao utilizar o mesmo numero de polos em bobines por fase, que os pólos dos magnetos, obtenho a potencia total disponível.

Vou também utilizar as bobines da esquerda. Não tenho grande resposta para esta duvida, no fundo penso que as bobines da direita sejam completamente funcionais visto que o que importa é que o campo magnetico seja perpendicular ao fluxo electrico das bobines. Mas vi vários exemplos na internet e vou jogar pelo seguro, construindo como as da esquerda. Gasta-se um pouco mais de fio mas nao faz mal.


Agora vai uma questão: Como é obvio a interacção entre os magnetos e as bobines vai criar uma força que vai tentar bloquear a rotação do aerogerador. Portanto so começo aproveitar energia produzi-da por ele, quando atingir uma determinada  velocidade, penso que seja assim que funcionam para no arranque nao existir essa força.

Só não consigo compreender um coisa. Essa força mantém-se constante e em sentido contrário ao da rotação para qualquer velocidade ou aumenta com a velocidade? Penso que seja constante mas estarei enganado?



"O único modo de descobrir os limites do possivel é aventurarmo-nos um pouco para além deles em direcção ao impossivel."

Uma das Três Leis de Arthur C. Clarke