collapse

* Posts Recentes

DIY - Robot Arm por zordlyon
[07 de Dezembro de 2022, 13:29]


(Resolvido) Compro ULN2003 DIP por KammutierSpule
[01 de Dezembro de 2022, 11:58]


Curiosidade Ferro Soldar por dropes
[22 de Novembro de 2022, 12:17]


Fonte de alimentação +/-15V para tensões de entrada <80Vdc por jm_araujo
[14 de Novembro de 2022, 16:25]


ua796 jurássico por SerraCabo
[08 de Novembro de 2022, 23:55]


Resistência interna de transformador por SerraCabo
[08 de Novembro de 2022, 23:42]


Resistência paralela com bateria primária de Lítio. por jm_araujo
[06 de Novembro de 2022, 18:49]


Precisão de condensadores de origem na China por dropes
[05 de Novembro de 2022, 20:44]


Imagine this kind of development tools for your favourite Programming Language. por blabla
[04 de Novembro de 2022, 22:16]


Ajuda Identificar Resistência por SerraCabo
[02 de Novembro de 2022, 22:27]

Autor Tópico: Estilos de routing em circuito impresso.  (Lida 496 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.

Offline SerraCabo

  • Mini Robot
  • *
  • Mensagens: 1.015
    • Serra Cabo
Estilos de routing em circuito impresso.
« em: 13 de Dezembro de 2021, 15:10 »
Oi, pessoal.

Eu uso o Freerouting (com o Kicad), nesta variante:
https://github.com/freerouting/freerouting/releases

Duas das hipóteses que ele oferece são as seguintes:
1 - Pistas a múltiplos de 45 graus
2 - Pistas pelo caminho mais curto.

Estão aqui dois bonecos de um e outro caso. As frequências em causa são corriqueiras, igualmente para as tensões. As pistas das alimentações são um pouco mais largas ... porque sim. As correntes em causa são baixas.

A primeira hipótese parece-me mais 'tech", a segunda mais simpática :). A segunda demora talvez 20x mais a calcular.

Agora, por que escolher um ou outro tipo de routing?





[Se as imagens não aparecerem no link acima, vejam-nas 'agarradas'. Eu não as consigo ver.]

Entretanto, o primeiro caso gera por vezes alguns (2 ou 3) 'encostos' ou mesmo pistas a atropelar zonas de soldadura, detectáveis usando a função "perform design rules chech" (a joaninha) do Kicad. No 2º caso nunca me aconteceu.

No fórum do Github alguém afirma que estes atropelamentos começaram a acontecer quando implementaram a utilização de todos os cores. Quando isso me acontece, arrasto as pistas à pata e volto a testar.


[Salvo erro a partir da versão 1.4.5 o Freerouting usa todos os cores de processador disponíveis. A anterior usava apenas 1.]

Abraço
SC

« Última modificação: 13 de Dezembro de 2021, 15:15 por SerraCabo »

Offline KammutierSpule

  • Mini Robot
  • *
  • Mensagens: 1.466
Re: Estilos de routing em circuito impresso.
« Responder #1 em: 13 de Dezembro de 2021, 19:14 »
Essa opção não estou a ver utilidade prática. Pode ter sido só uma opção "porque sim / por piada"

Porque na verdade existem duas situações:
- ou o comprimento das pistas não interessa, e nesse caso, tanto faz ser uma ou outra maneira.
- ou o comprimento das pistas interessa, mas nesse caso, geralmente terá de haver "pair matching" ou um controlo muito rigoroso do comprimento das pistas que se querem controlar (geralmente, serão varias linhas que do mesmo grupo, tem de ter comprimentos iguais), para além de haver compensação de distancias ( aquelas pistas em serpentina que se costumam ver)

Portanto para mim, essa opção só serve para primeiro caso: "tanto faz"

Offline dropes

  • Mini Robot
  • *
  • Mensagens: 2.113
Re: Estilos de routing em circuito impresso.
« Responder #2 em: 13 de Dezembro de 2021, 21:41 »
As larguras das pistas são definidas por classes, existem as pré-definidas, como a alimentação, depois as restantes ficam de acordo com as preferências do utilizador, é muito importante analisar todas as tolerâncias e saber o que se está a ler.
Pistas demasiado finas ou ângulos fora dos 45 devem-se evitar.

O auto-route ajuda nos esquemas mais complexos, entretanto não há melhor do que ajustar á mão alguns caminhos disparatados.

A colocação dos componestes é das 1ªs coisas a fazer, escolhe-se a rotação e posição de acordo com o esquema (evita-se pistas demasiado compridas).

Após todo o route, deve-se executar a análise eléctrica e do desenho, para confirmar que as regras foram cumpridas.

Se existir um plano de massa (e deve), a interferência entre sinais analógicos e digitais é minima,entretanto deve-se usar condensadores de desacoplamento, em cada IC.

ps: nunca usei o Kicad, para mim é apenas um hobby  :)

Offline brunus

  • Mini Robot
  • *
  • Mensagens: 328
Re: Estilos de routing em circuito impresso.
« Responder #3 em: 21 de Dezembro de 2021, 17:32 »
O auto-route não é praticamente, para fazer uma previsão das pistas para ver se os componentes não podem/precisam de ter outra posição, fazer a maior parte das pistas e complementar os ajustes manuais que se vai fazer em quase cada uma delas depois?
Eu quando faço auto-route, evito as opções que me fazem muitos ângulos nas pistas, pois dá mais trabalho, apagar os segmentos e refazer os ângulos/trajectos, talvez mais quando é na primeira fase, enquanto se ainda está a pensar na posição dos componentes, no espaço disponível na PCB e ser a primeira previsão dos trajectos optimizados e escolhidos pelo auto-route. Já que demora mais tempo a executar e se depois se vai mexer em cada uma das pistas então é usar a opção mais rápida, para fazer o grosso modo, fazer o mínimo de ajustes para aquilo que queremos e deixar a pcb com melhor aspecto final.

Para mim a opção mais tech, também é a mais bonita (a opção mais simpática só é mais bonita, quando as pistas desenham algo de prepósito ou com um dado efeito e isso não é conseguido pelo IA do software). Para mim, a opção mais simpática, é a opção que escolhia no final, sabendo que tenho os componentes mais ou menos posicionados e que deixa as pistas mais fáceis para editar manualmente cada uma delas posteriormente.

(não sei bem se a pergunta era para opinarmos qual das opções é a preferida ou se era para resolver algum problema com esse freerouting do kicad)