collapse

* Posts Recentes

Rede de comboios elétricos totalmente autónomos 10 ton em Rust em realtime. por blabla
[18 de Setembro de 2022, 18:44]


NiMH por 18650 por almamater
[18 de Setembro de 2022, 17:21]


How We Get Down to 0.2nm CPUs and GPUs - TechTechPotato por blabla
[18 de Setembro de 2022, 15:38]


Nova secção de Raspberry Pi Bare Metal em C e em Rust e Systems Programming por blabla
[04 de Setembro de 2022, 08:55]


The code for AGI will be simple - John Carmack and Lex Fridman por blabla
[29 de Agosto de 2022, 07:36]


Wavelets: a mathematical microscope por blabla
[28 de Agosto de 2022, 20:50]


Bom livro - Dive Into Systems por blabla
[28 de Agosto de 2022, 12:19]


graus negativos inclinação por josecarlos
[28 de Agosto de 2022, 11:31]


Super obsolescência super programada? por SerraCabo
[06 de Agosto de 2022, 11:36]


Motor de aspirador por dropes
[02 de Agosto de 2022, 22:18]

Autor Tópico: "Right to repair"  (Lida 604 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.

Offline SerraCabo

  • Mini Robot
  • *
  • Mensagens: 996
    • Serra Cabo
"Right to repair"
« em: 31 de Julho de 2021, 12:06 »
A propósito (e um pouco a despropósito) do vídeo abaixo,

Tem havido um movimento chamado "right to repair" (e não só no campo da electrónica), que tem tido duas facetas:
1 - fabricantes a reivindicarem o direito a repararem em exclusivo os equipamentos que vendem e se avariam
2 - reparadores 'independentes' que reclamam o direito a reparar os equipamentos que os donos decidem entregar-lhes para serem reparados.

No caso 1, pretende-se, por via legislativa,  que os donos dos equipamentos não tenham autoridade para decidir quem possa reparar-lhes os equipamentos.

Parece que a via 1 tem vindo a perder terreno e que a via 2 tem vindo a ver-se fortalecida.

Entretanto tenho ouvido zunzuns que por aí :) se tem estado a tentar que os equipamentos sejam mais facilmente reparáveis. A impressão que tenho é que em muitos casos o fabricante tem mais trabalho fabricando no sentido de dificultar a reparação que se o não quisesse conseguir. Claro que também se argumenta que fabricar coisa reparáveis é mais caro. Na minha opinião, talvez cada caso seja um caso. De uma forma ou outra, diz-se frequentemente que se pretende que as coisas sejam rapidamente deitadas fora para se comprar novo. Em boa parte é capaz de ser verdade, muito embora noutros a obsolescência tecnológica chega mais cedo.

Quem tem estado muito nessa guerra é este gajo: https://www.youtube.com/user/rossmanngroup

O Pentágono (EUA), naturalmente em relação a assuntos de defesa, parece ter-se insurgido recentemente contra a aparente manigância da irreparabilidade a que alguns fabricantes parecem dedicar-se.

Enfim, será que o "right to repair" no sentido da vontade do dono, virá de alguma forma revitalizar a reparação de tralha electrónica?



SC

Offline jm_araujo

  • Mini Robot
  • *
  • Mensagens: 2.865
  • NERD!
Re: "Right to repair"
« Responder #1 em: 31 de Julho de 2021, 13:31 »
Só ligo um bocado ao assunto, mas pelo que tenho lido, a UE vai mais à frente nestes assuntos: https://www.independent.co.uk/life-style/gadgets-and-tech/eu-right-repair-technology-decade-b1809408.html


Da mesma forma que há o esforço para standardizar carregadores: https://ec.europa.eu/growth/sectors/electrical-engineering/red-directive/common-charger_en (todos se lembram de quando cada marca tinha um carregadores e mesmo na marca mudavam cada 2 anos)
« Última modificação: 31 de Julho de 2021, 13:34 por jm_araujo »