collapse

* Posts Recentes

Baterias Lipo Potentes por almamater
[Ontem às 21:38]


Alimentação microfones simples a condensador por SerraCabo
[Ontem às 14:42]


Circuito de proteção para ferro de soldar. por vasco
[Ontem às 01:10]


Controlardor de resistencia de aquecimento. por filjoa
[14 de Dezembro de 2019, 23:52]


tecnologias web para servidor num MCU por KammutierSpule
[12 de Dezembro de 2019, 13:24]


Transição de Orcad para Kicad por KammutierSpule
[11 de Dezembro de 2019, 10:42]


Eixo "SEXTAVADO" por senso
[10 de Dezembro de 2019, 12:50]


Compra Colectiva Mouser N5-2018 (~Dezembro 2019) [update] por Hugu
[09 de Dezembro de 2019, 18:14]


Limitador de corrente simples por vasco
[07 de Dezembro de 2019, 17:07]


Empresas que bobinem alto-falastes ou motores? por fergas
[06 de Dezembro de 2019, 20:12]

Autor Tópico: Xadrez, e aquilo que um pai atura  (Lida 15541 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.

Offline samc

  • Mini Robot
  • *
  • Mensagens: 438
Re: Xadrez, e aquilo que um pai atura
« Responder #15 em: 29 de Outubro de 2016, 01:27 »
Como foi dito aqui e muito bem se a pessoa estiver a olhar para os custos, utilizar um sensor por peça por mais barato que seja o sensor, vai encarecer o projeto e a visão computacional é uma alternativa mais em conta. A questão é que de migra para uma área mais relacionada com o software e parece que este projeto tinha mais um objetivo didático relacionado com a electrónica (menção a arduinos e afins).
No caso de se utilizar visão computorizada a ideia do TigPT era interessante visto que ficava algo com um design apelativo.

Eu continuo com a mesma sugestão de usar circuitos simples (interruptores), a primeira vez que joguei xadrez contra uma máquina nem foi num computador
Foi numa destas máquinas muito populares nos anos 90 onde as peças eram encaixadas nuns buracos (algo deste género http://www.chessbaron.com/chess-CM2010.htm )
O JM_araujo já avisou e com razão que os contactos podem dar muitas dores de cabeça, mas para um projeto de brincar acho que era uma concessão a fazer
Desenhei isto muito rapidamente para demonstrar como dava para adaptar este sistema a qualquer tabuleiro padrão com poucas alterações nas peças (só um pequeno furo para comportar uma resistência SMD.
A identificação das peças ficava resolvida e o aspeto final até não era muito comprometido (só ficariam visíveis os contactos no tabuleiro que poderiam ser dois ou mais contactos por casa para haver alguma redundância)

Offline TigPT

  • Administrator
  • Mini Robot
  • *****
  • Mensagens: 5.348
    • Tiago Rodrigues
Re: Xadrez, e aquilo que um pai atura
« Responder #16 em: 29 de Outubro de 2016, 10:01 »
Gosto muito da opção do samc, contudo apenas peca por ter muitas partes moveis, quer para montar quer para desgaste.

(adoro o Paper 53 :)))

Offline Njay

  • Mini Robot
  • *
  • Mensagens: 3.433
    • Tróniquices
Re: Xadrez, e aquilo que um pai atura
« Responder #17 em: 29 de Outubro de 2016, 12:12 »
"pogo pins" (?) e PCB

Mas sem partes mecânicas realmente é que era. RFID parece-me complexo por causa do hw envolvido, mas podia ser outra coisa "parecida". Uma bobina na peça (secundário), com uma resistência de carga, e outra bobina em cada casa do tabuleiro (primário), o que faz um transformador. A corrente no primário é proporcional à corrente de carga no secundário. Um "mux" no tabuleiro escolhe qual dos primários (que casa) está a usar-se, portanto o hw a replicar no tabuleiro seria apenas a bobina.

update: Pensando bem isto tem o problema do alinhamento das bobinas. Mas há outra hipótese que é em vez duma resistência ter um filtro passa banda passivo, aí o consumo dependia da frequência e não só do alinhamento das bobinas do transformador. O tabuleiro testava as várias frequências das peças e via qual apresentava maior/menor consumo.
« Última modificação: 29 de Outubro de 2016, 12:18 por Njay »

Offline TigPT

  • Administrator
  • Mini Robot
  • *****
  • Mensagens: 5.348
    • Tiago Rodrigues
Re: Xadrez, e aquilo que um pai atura
« Responder #18 em: 29 de Outubro de 2016, 12:17 »
"pogo pins" (?) e PCB
também pensei logo nos pogo pins usados para programar / testar PCBs, mas ter contactos continua a fazer-me confusão.

Offline josecarlos

  • Mini Robot
  • *
  • Mensagens: 308
Re: Xadrez, e aquilo que um pai atura
« Responder #19 em: 29 de Outubro de 2016, 22:42 »
Olá :)

Não sei se é viável, mas é possível fazer uma matriz  de LDR e receber dados no arduino.
 Quanto a questão de identificar cada peça ( será  possível ?) utilizar peças mais ou menos translucidas para lhe dar uma  identidade.


http://tecnomelque.blogspot.pt/2012/08/arduino-ldr-matriz.html

Eu dizia ao puto! quem era aquela rapariga que estavas ontem na escola XEQUE MATE ;D ;D ;D

Offline metRo_

  • Administrator
  • Mini Robot
  • *****
  • Mensagens: 3.753
Re: Xadrez, e aquilo que um pai atura
« Responder #20 em: 30 de Outubro de 2016, 09:58 »
Podes tentar com o hall sensor detectar diferentes valores de magnetismo...

Offline dio123

  • Mini Robot
  • *
  • Mensagens: 946
Re: Xadrez, e aquilo que um pai atura
« Responder #21 em: 30 de Outubro de 2016, 13:10 »
Ou entao usar a ideia do SAMC invertida,  e em vez de um swich meter no tabuleiro o pino ao centro ligeiramente mais alto assim nao havera mal contacto.

Offline Hugu

  • Mini Robot
  • *
  • Mensagens: 5.583
  • Keyboard not found. Press any key to continue.
    • [url=www.g7electronica.net]G7 Electrónica.net[/url]
Re: Xadrez, e aquilo que um pai atura
« Responder #22 em: 31 de Outubro de 2016, 01:00 »
Engraçado, ainda à 3 dias tb me passou pela ideia fazer um tabuleiro de xadrez tradicional mas auxiliado com programação e identificação das peças para instrução no jogo do xadrez e tb fiquei na duvida como identificar cada peça no tabuleiro... das ideias que me passaram pela cabeça: tags NFC/RFID, sensores de hall, pinos com codificação em circulo, a que me está a puxar mais é para o uso de encoders circulares nas peças e depois usar os QRE1113, pra codificar 24 peças distintas, basta usar 4 rodelas e um iman no centro só para fazer centrar as peças..


Claro que nao fazia cabos, era tudo numa pcb.
« Última modificação: 31 de Outubro de 2016, 01:02 por Hugu »

Offline senso

  • Global Moderator
  • Mini Robot
  • *****
  • Mensagens: 9.620
  • Helpdesk do sitio
Re: Xadrez, e aquilo que um pai atura
« Responder #23 em: 31 de Outubro de 2016, 18:36 »
Um tag NFC em cada uma e 64 leitores NFC numa caixa de aluminio lol.
Avr fanboy

Offline TigPT

  • Administrator
  • Mini Robot
  • *****
  • Mensagens: 5.348
    • Tiago Rodrigues
Re: Xadrez, e aquilo que um pai atura
« Responder #24 em: 31 de Outubro de 2016, 18:45 »
Este humor

Offline Hugu

  • Mini Robot
  • *
  • Mensagens: 5.583
  • Keyboard not found. Press any key to continue.
    • [url=www.g7electronica.net]G7 Electrónica.net[/url]
Re: Xadrez, e aquilo que um pai atura
« Responder #25 em: 31 de Outubro de 2016, 19:30 »
Um tag NFC em cada uma e 64 leitores NFC numa caixa de aluminio lol.
ok entendo o gozo.. mas ainda nao ha muito vi micro boards nfc readers que n sao sao maiores que uma pen ou uma bolacha BL4

http://www.identitoy.com/

Offline senso

  • Global Moderator
  • Mini Robot
  • *****
  • Mensagens: 9.620
  • Helpdesk do sitio
Re: Xadrez, e aquilo que um pai atura
« Responder #26 em: 31 de Outubro de 2016, 22:26 »
Estou a falar a sério..
Vá, com tags mais recentes que são programáveis, com 3 receptores da NXP aka Qualcomm dá para fazer triangulação que elas dão de volta um RSSI e um link quality de volta se lhes pedirem, é uma questão de jogar com potência de emissão, mas eu nos RFR consigo saber distâncias em metros a partir do RSSI..
Avr fanboy

Offline Alfredo Garcia

  • Mini Robot
  • *
  • Mensagens: 418
Re: Xadrez, e aquilo que um pai atura
« Responder #27 em: 01 de Novembro de 2016, 16:36 »
A electrónica não é o meu forte, mas que tal um 555 com um led ( ou bobina) em cada peça mandando um código e um sensor em cada casa no tabuleiro de acrílico/vidro?
Acho que são componentes económicos mesmo para essa quantidade.
PDI

Offline octoCore

  • Mini Robot
  • *
  • Mensagens: 23
Re: Xadrez, e aquilo que um pai atura
« Responder #28 em: 02 de Novembro de 2016, 03:39 »
Engraçado, ainda à 3 dias tb me passou pela ideia fazer um tabuleiro de xadrez tradicional mas auxiliado com programação e identificação das peças para instrução no jogo do xadrez e tb fiquei na duvida como identificar cada peça no tabuleiro... das ideias que me passaram pela cabeça: tags NFC/RFID, sensores de hall, pinos com codificação em circulo, a que me está a puxar mais é para o uso de encoders circulares nas peças e depois usar os QRE1113, pra codificar 24 peças distintas, basta usar 4 rodelas e um iman no centro só para fazer centrar as peças..


Claro que nao fazia cabos, era tudo numa pcb.

- Primeiro, são 32 peças e não 24
- Segundo, para ler 32 peças são necessários 6 bits e não 4
- Terceiro, o QRE1113 é um simples interruptores ópticos, gostava de saber como vai usar o mesmo para ler código binário.

Vai para ai uma grande confusão, ou desconhecimento.

Offline octoCore

  • Mini Robot
  • *
  • Mensagens: 23
Re: Xadrez, e aquilo que um pai atura
« Responder #29 em: 02 de Novembro de 2016, 03:54 »

A CV usada para Chess Tracking detecta movimentos no tabuleiro por analogia
e não por reconhecimento individual de cada peça.

A detecção individual de peças tem sido mesmo um motivo de competição entre
diversas universidades a nível mundial, mas até hoje ainda minguem apresentou
uma solução que funcione a 100%, existem no entanto vários papers sobre
o assunto para quem quiser alargar a sua base de conhecimentos.