collapse

* Posts Recentes

Compilador C por SerraCabo
[Ontem às 17:27]


Transicão C ... C++ por Njay
[Ontem às 13:02]


PlatformIO, excelente vídeo por SerraCabo
[Ontem às 01:29]


GSM SIM900A por jm_araujo
[22 de Fevereiro de 2021, 16:39]


Problema com Tablet por senso
[20 de Fevereiro de 2021, 20:35]


I2C a 400KHz por SerraCabo
[17 de Fevereiro de 2021, 16:32]


Glitch em linha I2C por SerraCabo
[17 de Fevereiro de 2021, 16:24]


A Arduino rp2040 connect por zordlyon
[17 de Fevereiro de 2021, 13:13]


Protocolo multi-dispositivo, para barramento RS485 por KammutierSpule
[17 de Fevereiro de 2021, 08:42]


Coisa estranha com Botão por almamater
[13 de Fevereiro de 2021, 19:13]

Autor Tópico: Drone Pessoal  (Lida 13755 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.

Offline jm_araujo

  • Mini Robot
  • *
  • Mensagens: 2.735
  • NERD!
Re: Drone Pessoal
« Responder #30 em: 08 de Junho de 2017, 09:13 »
Sim, porque nunca caiu nenhum avião "só" por lhe falhar um motor, fazem aterragens de emergência se comerem um pardal, mas um drone até vai é ajudar a tirar o pó ás pás do motor, epá...

Acho que é bastante esclarecedor em termos de números:
https://en.wikipedia.org/wiki/Bird_strike

Não disse que não podia ser grave ("não duvido que um embate na zona mais delicada do avião fizesse estragos de valor avultado"), mas daí a explodir o avião tipo filme de Michael Bay há uma grande distância.

Não nos deixemos cair no medinho constante que parece que nos querem manter.

Queres exemplos?
O horror de um choque frontal com um drone!!! Pánico!!! https://www.usatoday.com/story/news/2017/01/06/african-airline-reports-drone-collision-passenger-jet/96237622/#
(mas estranhamente mesmo sendo um embate direto na frente do avião, os pilotos não viram o drone. Deviam ser mais ceguetas que os que aterraram no  Porto).
Mas... https://aviation-safety.net/wikibase/wiki.php?id=192598
É pá, falha estrutural não vende jornais... esquece lá dar essa notícia que se enganaram e ajudaram a criar um medo infundado de drones.
« Última modificação: 08 de Junho de 2017, 09:19 por jm_araujo »

Offline LVirtual

  • Mini Robot
  • *
  • Mensagens: 472
  • http://www.s-tronika.com
    • S-Tronika - Serviços Técnicos de Electrónica
Re: Drone Pessoal
« Responder #31 em: 08 de Junho de 2017, 14:58 »
respondendo aos exemplos noutra côr:

Agora os exemplos e digam-me lá que  algum destes não demonstra a necessidade de existir legislação que regule o uso de aeronaves não tripuladas e que esta se faça cumprir.

Um que supostamente cumpria a legislação e se encontrava em fase de testes por profissionais de uma empresa, não estamos a falar de um qualquer maluco sem formação:
http://www.cmjornal.pt/portugal/detalhe/drone-de-seis-metros-choca-com-casa?ref=Bloco_CMAoMinuto
este incidente para mim é exactamente igual ao daquele em que caiu uma avioneta aqui a 500 metros da minha casa quando saiu do aerodromo de tires. passou na tv no outro dia e por um triz que um bebe nao morreu, apenas porque a avo se lembrou de o tirar da varanda uns minutos antes da avioneta descolar da pista.
acidentes com aeronaves vai haver sempre sejam pilotadas ou nao, sejam de 20 cm ou de 6 metros ou de 20 metros de envergadura de asas. nao ha aeronaves infaliveis e seguras, nem mesmo as de uso militar de vez em quando caem tambem...
eventualmente poderiam ter ido para uma regiao mais deserta para fazerem os testes visto que ja é um veiculo grandinho e se cair em cima de zonas habitadas os estragos poderao ser grandes como se viu. mas o problema nao foi do drone, foi dos responsaveis pelo teste que se borrifaram para o assunto segurança 200%.


Este envolvendo um avião comercial, a ser verdade que este teve de fazer manobras para evitar o embate estamos a falar de um incidente grave, não venham com a história que um drone é uma mosca ao lado de um avião comercial e que apenas riscaria a pintura, porque um drone médio com baterias de litio de grande capacidade a explodirem dentro da turbina de uma avião a jacto faz estragos e muitos:
http://sicnoticias.sapo.pt/pais/2017-06-01-Aviao-evita-colisao-com-drone-durante-aterragem-no-Aeroporto-do-Porto
Com toda a tecnologia existente, os avioes ja podiam ter instalado sistemas de anulaçao de objectos voadores á sua volta. se os avioes militares conseguem detectar tudo e mais alguma coisa, tambem os avioes comerciais poderiam fazer o mesmo. mais uma vez é apenas graças á falta/má vontade dos seres humanos responsaveis por estas coisas que isso nao acontece. nao é por causa de nenhuma fatalidade imparavel dos drones. um dia destes ate o daesh vai usar drones para deitar avioes abaixo e depois vao todos desculpar-se que nao podem fazer nada contra os drones e proibem a fabricaçao, venda e uso dos mesmos e pronto "resolvem" o problema

Voltando à temática do fogo de artificio digam-me o que acham sinceramente desta:
http://www.dn.pt/lusa/interior/fogo-de-artificio-sem-drones-no-senhor-de-matosinhos-por-falta-de-autorizacao-8524761.html
proibir o uso de drones que sao aparelhos cujo voo pode ser controlado, é normal, mas usar baloes com velas ou outras coisas pirotecnicas, ja nao é proibido. ;)
pois... que se ha-de dizer disto? sera apenas aquele medo ancestral do desconhecido? ou sera pior?
"O defeito mais grave dos humanos, aquele que coloca mais obstáculos à sua evolução, é a crença profundamente arreigada na infalibilidade dos seus raciocínios e dos seus pontos de vista."

Offline LVirtual

  • Mini Robot
  • *
  • Mensagens: 472
  • http://www.s-tronika.com
    • S-Tronika - Serviços Técnicos de Electrónica
Re: Drone Pessoal
« Responder #32 em: 08 de Junho de 2017, 15:20 »
Bem vamos lá por partes:
Se queres tirar alguém rápido de um 15° andar em chamas usas uma coisa destas:
https://www.vetter.de/vetter_emergency/en/Rescue+Products/Safety+cushions/Safety+cushion+SP+60.html
Por muito amedrontante que possa parecer se tivermos um apartamento completamente tomado por chamas atrás de nós fazemos como as pessoas do world trade center.
Usas uma coisa dessas se o teu quartel tiver guito para comprar uma coisa dessas. ;)
no caso como referi antes o apartamento nao estava completamente tomado por chamas, era so a cozinha. e os moradores tanto quanto soube fugiram de imediato pelo seu proprio pé. estavam á porta do predio quando la cheguei.

Um veículo escada (magyrus é um fabricante, mas ficou na gíria tal como o x-acto) tem limitações por muito bom que seja e nem todas as corporações têm dinheiro para comprar um, no regulamento geral de segurança contra incêndios estão tipificadas uma série de situações para facilitar a evacuação e o combate a incêndios em edifícios em altura, por exemplo redes armadas de incêndio de 2a intervenção (mangueiras planas iguais às dos bombeiros), colunas secas (tubo vazio a toda a altura do edifício para ser abastecido na base por um veículo dos bombeiros e com saídas para os bombeiros ligarem mangueiras em todos os pisos), caixas de escada e de elevador livres de fumo, elevadores com função de emergência que podem ser usados em incêndio etc. todas estas medidas são em parte redundantes para que caso haja uma falha numa delas não se comprometa o socorro.
Isso em 95% dos predios em portugal e em muitos paises é uma utopia fantastica. Predios com 30 anos terem agua na boca de incendio mais proxima já é uma sorte, quanto mais terem saidas de agua em cada piso para os bombeiros. o exemplo que dei nao foi na cidade de lisboa, aconteceu na cidade de Odivelas ha 7 anos atras.

A situação da vítima caída numa ravina, garanto que se uma corporação qualquer no país tivesse condições para ter um brinquedo destes conseguiria meter com a mesma rapidez ou mais rápido ainda um técnico de salvamento em grande ângulo (resgate) junto da vítima, com o benefício de que a vida de acesso ficava já montada para fazer chegar todo o material de socorro junto da vítima e para depois a trazer para cima. Enquanto técnico de emergência  pré-hospitalar e técnico de salvamento em grande ângulo meu vejo esta como uma plataforma capaz para a evacuação de uma vítima de traumatismo, precisaria de muitos melhoramentos de forma a garantir a segurança da vítima e dos socorristas, melhoramentos esses que iriam trazer muito mais condicionamentos à plataforma pois iriam aumentar-lhe o tamanho e peso e como tal reduzir-lhe a autonomia. O tempo necessário para estabilizar a vítima é o suficiente para colocar um helicóptero no local se for possível a sua evacuação por ar, se um helicóptero não conseguir fazer a evacuação está plataforma também não o conseguirá pois está sujeita aos mesmos condicionamentos e terá sempre de aterrar para que a vítima seja "carregada".
Ves como aqui concordas comigo num uso muito util para plataformas voadoras que ate podem ser bem mais baratas que auto-escadas? ;)
Quanto á parte militar acho que nem vale a pena falar pra as plataformas robóticas aéreas e terrestres já estão presentes nesse ramo à muito tempo e sem "legislação" com que se preocupar.
Nesta area nem fazia ideia que ja estivessem em uso, mas ja tinha pensado nesse uso desde que surgiram os drones do tipo helicopetro...
Quanto à parte de crianças a atirar pedras, sim existem mas tal como entendo que é dever do estado regular/legislar situações que põe em risco a segurança de todos também sei que é meu dever é dever de todos os pais regular/legislar as suas crianças para que não ponham em risco a sua segurança ou a segurança dos outros, infelizmente como esta última parte nem sempre funciona entre outras coisas por alguma falta de bom senso fita país o estado é obrigado a regular/legislar com vista a, em casos extremos, (re)educar essas crianças e/ou punir os pais.
A menos que seja num pais de governo totalitario, ninguem vai legislar no sentido de punir os pais de forma efectiva pela maldade ou má educaçao dos filhos, muito menos neste país tao democratico e de brandos costumes.
"O defeito mais grave dos humanos, aquele que coloca mais obstáculos à sua evolução, é a crença profundamente arreigada na infalibilidade dos seus raciocínios e dos seus pontos de vista."

Offline artur36

  • Mini Robot
  • *
  • Mensagens: 795
Re: Drone Pessoal
« Responder #33 em: 08 de Junho de 2017, 19:55 »
Eu foi criado na província e vi, múltiplas vezes, os pequenos agricultores escolherem as melhores vagens, por exemplo de fava, para plantarem no ano seguinte. Eu vi fazer-se este tipo de coisa ... já feita desde que se inventou a agricultura.

Hoje, graças à sacrossanta regulamentação, esta prática é proibida. A semente só pode ser lançada à terra se "devidamente certificada".

Haverá coisa mais cretina que regulamentar o comportamento da natureza?

Eu tenho 12 pés de couve no meu quintal. Eu adoro aquelas couves e alguns mosquitos também e ao ponto de serem capazes de as matar. Há, evidentemente, um insecticida para o mosquito mas, para comprar esse insecticida eu teria que ir tirar um curso sobre aplicação de substancias químicas na agricultura. Claro é que arranjo o insecticida numa candonga qualquer.


[
Nem me fales nessa que me deixa mal disposto. Também lá tive de arranjar quem me comprasse um frasquinho de 100ml que me dura mais de 5 anos por causa de um limoeiro que ganha pulgão às vezes.
Quando comprei o primeiro frasco ainda não havia essa lei parva, quando fui comprar o segundo adorava ter uma gravação da cara que fiquei quando me explicaram que tinha de perder um dia de trabalho e umas dezenas de euros a tirar um curso para matar o bicho num limoeiro pouco mais alto que eu! Ainda perguntei meia dúzia de vezes se estavam a gozar comigo, senti-me num programa de apanhados mas era bem real.

Não querendo ser muito chato nem dar muito trabalho, podem fazer o obséquio de colocar essas duas legislação? E pelo caminho aproveitem e leiam o que elas regulamentam, é que tal como no caso das aeronaves não tripuladas elas não proiebem terminantemente nenhuma das situações de ocorrer, no primeiro caso ninguém é proibido (muito menos a natureza, sei que nos states é possível processar Deus pelos desastres naturais mas ainda estou para encontrar uma qualquer lei com o objectivo de regular a natureza) de seleccionar sementes para plantar, o que não é permitido é a VENDA de sementes que não estejam devidamente registadas, admito que possa ser exagerado como muitas outras legislações deste nosso belo rectângulo à beira mar plantado mas prefiro grandemente ter a venda de sementes regulamentada a andar a comer organismos genéticamente modificados sabe-se lá de que forma ou com que objectivo, e não mevenham com a história que irei passar a comer ainda mais organismos geneticamente modificados e sem saber na realidade o que estou a comer, esse é um problema da má aplicação prática da legislação e não do facto de existir ou não legislação.
Quanto ao segundo caso em especial para o Araújo, quase que aposto que quem o atendeu e lhe disse que não lhe poderia vender o referido produto até se prontificou em fazer-lhe já a inscrição na formação que a mesma loja ou alguém a ela ligado iria dar, pago concerteza e a preço de ouro que dá muito jeito que a legislação só obrigue a ser feita a formação e não estipule um preço máximo para esta. Se a pessoa que estava "atrás do balcão" tivesse bom senso, formação adequada e fosse vossa amiga infomava que apenas carecem de comprovativo de formação a venda de insecticidas e afins considerados "industriais" e que aqueles que são classificados como para uso doméstico (o RAIDE por exemplo) continuam a ser de venda livre, é chato não puder comprar o insecticida que trata do problema numa só aplicação mas quem vive ou viveu na "provincia" de certeza que já viu por exemplo as embalagens de insecticida a servirem de espantalho, ou como são feitas as dosagens com um olho altamente calibrado, isto sem falar no maravilhoso "remédio do escaravelho" que mesmo depois de proibido continua a matar quase tantas pessoas como escaravelhos (por suicidio entenda-se).



[/quote]quote author=jm_araujo link=topic=9086.msg101906#msg101906 date=1496909593]
Sim, porque nunca caiu nenhum avião "só" por lhe falhar um motor, fazem aterragens de emergência se comerem um pardal, mas um drone até vai é ajudar a tirar o pó ás pás do motor, epá...

Acho que é bastante esclarecedor em termos de números:
https://en.wikipedia.org/wiki/Bird_strike

Não disse que não podia ser grave ("não duvido que um embate na zona mais delicada do avião fizesse estragos de valor avultado"), mas daí a explodir o avião tipo filme de Michael Bay há uma grande distância.

Não nos deixemos cair no medinho constante que parece que nos querem manter.

É pá, falha estrutural não vende jornais... esquece lá dar essa notícia que se enganaram e ajudaram a criar um medo infundado de drones.
[/quote]

Os aviões comerciais de grande porte não caem porque lhes falha um motor, são construidos com uma boa dose de redundância (factor cagaço se preferires) mas não é por isso que devemos menosprezar esses danos e esses riscos, se tens um drone e tens o bom senso de não colocar outras pessoas em risco ainda bem que assim é, estás a trabalhar para uma sociedade melhor para os nossos netos, mas olha que eu conheço uma data de pessoas que só não andam a filmar aterragens de aviões com o seu drone dos chineses porque não existem aeroportos cá na santa terrinha, e ainda perguntam qual o problema ou qual o risco porque nenhum avião vai cair por causa de um drone.

Offline artur36

  • Mini Robot
  • *
  • Mensagens: 795
Re: Drone Pessoal
« Responder #34 em: 08 de Junho de 2017, 20:17 »
Mas, está-se à espera que os incidente sejam regulamentáveis? O voo, a partir de determinada altitude já é regulamentado, seja para quem for. Nos arredores dos aeroportos, até os postes de iluminação não podem ser muito altos. Parece-lhe razoável que o voo de um drone de um agricultor, que voe a 50m de altura na sua própria propriedade tenha que ser regulamentado?

Ninguém tenta regulamentar os incidentes, regulamentação as causas associadas a estes, chama-se prevenção, é certo ue existirá sempre um factor que não conseguimos controlar de maneira alguma que é o factor humano, iram existir sempre malucos capazes de tudo e mais alguma coisa, mas já se chegou à muito à conclusão que não basta a selecção natural para manter a sua "população" controlada. Se com regulamentação conseguirmos que os "maluco menos malucos" não nos matem já justificou a sua existência.


Citar

Já agora, basta que as hélices dos drones sejam envoltas em rede e acaba-se o perigo.

O problema nunca foi proteger as hélices, o problema como disse num dos post iniciais é o mesmo da energia infinita, a eficiencia os octocopters são desde sempre muito ineficientes, consomem uma quantidade "estupida" de energia para o trabalho efectuado. Apesar de não parecer essas redes ou qualquer outra protecção retira eficência ao fluxo de ar e como tal irá reduzir a autonomia do aparelho, para compensar isso aumenta-se a capacidade de carga das baterias, mas com isso aumenta-se o peso que por sua vez diminui a eficiência ainda mais e diminui a autonomia, e é assim o chamado ciclo vicioso ou a lógica da(o) batata.

Offline artur36

  • Mini Robot
  • *
  • Mensagens: 795
Re: Drone Pessoal
« Responder #35 em: 08 de Junho de 2017, 21:12 »
este incidente para mim é exactamente igual ao daquele em que caiu uma avioneta aqui a 500 metros da minha casa quando saiu do aerodromo de tires. passou na tv no outro dia e por um triz que um bebe nao morreu, apenas porque a avo se lembrou de o tirar da varanda uns minutos antes da avioneta descolar da pista.
acidentes com aeronaves vai haver sempre sejam pilotadas ou nao, sejam de 20 cm ou de 6 metros ou de 20 metros de envergadura de asas. nao ha aeronaves infaliveis e seguras, nem mesmo as de uso militar de vez em quando caem tambem...
eventualmente poderiam ter ido para uma regiao mais deserta para fazerem os testes visto que ja é um veiculo grandinho e se cair em cima de zonas habitadas os estragos poderao ser grandes como se viu. mas o problema nao foi do drone, foi dos responsaveis pelo teste que se borrifaram para o assunto segurança 200%.
Por não se poder confiar no factor humano, porque existirá sempre alguém que fará tudo ao contrário do que deveria (atenção que não sei se foi esse o caso), é que se regula as actividades que põe em risco a população em geral para limitar não a criatividade mas sim para limitar as probabilidades de erro humano. Na hipótese de esta aeronave ainda não estar devidamente comprovada em termos de segurança seria de bom senso voá-la numa área não povoada, claro que não podemos excluir um acidente que não de origem humana, mas de origem humana ou não este acidente só vem provar que é preciso cuidado com aeronaves não tripuladas.

Citar
Com toda a tecnologia existente, os avioes ja podiam ter instalado sistemas de anulaçao de objectos voadores á sua volta. se os avioes militares conseguem detectar tudo e mais alguma coisa, tambem os avioes comerciais poderiam fazer o mesmo. mais uma vez é apenas graças á falta/má vontade dos seres humanos responsaveis por estas coisas que isso nao acontece. nao é por causa de nenhuma fatalidade imparavel dos drones. um dia destes ate o daesh vai usar drones para deitar avioes abaixo e depois vao todos desculpar-se que nao podem fazer nada contra os drones e proibem a fabricaçao, venda e uso dos mesmos e pronto "resolvem" o problema
Nessa mesma lógica de ideias porque raio existem policias, com a quantidade de armas e tecnologia que existe e dado que basta o bom senso para saber que não se deve assaltar uma casa bastaria cada pessoa ter em sua posse duas caçadeiras, uma normal com balas de zagalote para tratar dos assaltantes à distância e caso não fosse suficiente uma de canos serrados para o combate a curta distância.
Calculo que seja exequível equipar um avião comercial com um radar de "curta" distância capaz de detectar um drone de média ou grande dimensão, mas para tal era preciso que das duas uma ou vivesse-mos no faroeste dos drones onde os incidentes entre estes e os aviões comerciais fossem tão frequentes que as companhias aéreas se vissem na necessidade de tomar medidas dessa proporção, ou então se legislava não os drones mas sim os aviões comerciais obrigando-os a possuir esse tipo de equipamentos, acredito que nenhum de nós quer que a primeira situação algum dia venha a acontecer e que no caso da segunda opção não faltariam os do costume a reclamar pelo excesso de regulamentação que castrava as companhias aéreas e fazia aumentar os custos das viagens de avião.

Citar
proibir o uso de drones que sao aparelhos cujo voo pode ser controlado, é normal, mas usar baloes com velas ou outras coisas pirotecnicas, ja nao é proibido. ;)
pois... que se ha-de dizer disto? sera apenas aquele medo ancestral do desconhecido? ou sera pior?
Não estou de todo contra a tua opinião que os "tradicionais" balões de são joão deviam também eles ser "regulamentados" muito pelo contrário tenho de te dar razão. No entanto temos de convir que dizer que um drone pode ser controlável no meio de uma descarga de fogo de artificio, junto ao mar (com as habituais massas de ar em deslocação AKA vento), no meio do fumo do fogo de artificio, de noite e a uma altitude considerável (a menos que a ideia fosse fazê-los pairar a baixa altitude sobre os espectadores , MEDO) enquanto vai jorrandomatéria incandescente em direcção aos espectadores é no mínimo esticar bastante a realidade para se adequar às nossas ideias. Talvez no meio desta ideia literalmente brilhante a única coisa posítiva é que por efeito do par acção-reacção o drone iria poupar energia enquanto o material pirotécnico estivesse a ser consumido.

Offline artur36

  • Mini Robot
  • *
  • Mensagens: 795
Re: Drone Pessoal
« Responder #36 em: 08 de Junho de 2017, 22:29 »
Usas uma coisa dessas se o teu quartel tiver guito para comprar uma coisa dessas. ;)
no caso como referi antes o apartamento nao estava completamente tomado por chamas, era so a cozinha. e os moradores tanto quanto soube fugiram de imediato pelo seu proprio pé. estavam á porta do predio quando la cheguei.
Achas que o "drone pessoal" é mais barato que um colchão de salvamentos, qual achas que seria o preço de venda de um "veículo" assim e aprovado para uso em situações de emergência e vendido como meio de acesso e\ou resgate para bombeiros? Eu apontava para pelo menos €100 000,00 (sim não me enganei nos zeros, é mesmo cem mil euros, para terem uma ideia à uns anos atrás seria este o preço base de uma ambulância minimamente bem equipada) só o drone sem incluir o atrelado para o transportar e obrigando a um plano de aluguer de baterias.
P.S.: Aqui na terrinha a corporação de bombeiros tem um destes com capacidade para saltos até 30 metros de altura, se a memória não me falha, porque um Comandante, que sabia realmente o que fazia, sabia que a corporação não tinha dinheiro para comprar um veículo-escada novo e era necessária uma solução para garantir o socorro aos prédios que cá chegam apenas aos 9 andares já que a velhinha "Magyrus" comprada à uns 40 anos já em segunda mão poderá não ser operacional o suficiente no dia em que for realmente necessária para salvar alguém ou os seus bens.

Citar
Isso em 95% dos predios em portugal e em muitos paises é uma utopia fantastica. Predios com 30 anos terem agua na boca de incendio mais proxima já é uma sorte, quanto mais terem saidas de agua em cada piso para os bombeiros. o exemplo que dei nao foi na cidade de lisboa, aconteceu na cidade de Odivelas ha 7 anos atras.
O regulamento geral de segurança contra incêndios é de cumprimento obrigatório em todo o país já à uns valentes anos e para qualquer edificio novo ou que sofra obras de reconstrução grandes. É óbvio que como é natural nos edificios mais antigos ainda não existem esse tipo de equipamentos, mas também por isso é que os regulamentos são criados, porque neste caso em especifico se a legislação não o obriga-se nem nos dias de hoje os construtores integravam este tipo de soluções de livre vontade.

A situação da vítima caída numa ravina, garanto que se uma corporação qualquer no país tivesse condições para ter um brinquedo destes conseguiria meter com a mesma rapidez ou mais rápido ainda um técnico de salvamento em grande ângulo (resgate) junto da vítima, com o benefício de que a vida de acesso ficava já montada para fazer chegar todo o material de socorro junto da vítima e para depois a trazer para cima. Enquanto técnico de emergência  pré-hospitalar e técnico de salvamento em grande ângulo (meu) eu nãovejo esta como uma plataforma capaz para a evacuação de uma vítima de traumatismo, precisaria de muitos melhoramentos de forma a garantir a segurança da vítima e dos socorristas, melhoramentos esses que iriam trazer muito mais condicionamentos à plataforma pois iriam aumentar-lhe o tamanho e peso e como tal reduzir-lhe a autonomia. O tempo necessário para estabilizar a vítima é o suficiente para colocar um helicóptero no local se for possível a sua evacuação por ar, se um helicóptero não conseguir fazer a evacuação está plataforma também não o conseguirá pois está sujeita aos mesmos condicionamentos e terá sempre de aterrar para que a vítima seja "carregada".
Ves como aqui concordas comigo num uso muito util para plataformas voadoras que ate podem ser bem mais baratas que auto-escadas? ;)[/quote]
Se calhar o meu erro na escrita que realcei e corrigi acima induziu-te em erro, mas se leres com mais atenção verás que é o oposto esta plataforma tem muitas falhas que teriam de ser corrigidas antes de se pensar sequer na viabilidade de a usar para acesso ou socorro a vitimas, existem já à muitos anos algumas alternativas muito melhores para essas situações, volto a dizer que em qualquer situação em que um helicóptero não consiga fazer um salvamento esta plataforma também não o conseguirá, com a agravante de que esta tem uma autonomia e um raio de acção infinitamente mais pequeno bem como capacidades para o socorro. Não vale a pena inventar a roda, o salvamento em grande ângulo já existe à algumas décadas em Portugal com técnicos e equipamento muito bom espalhados por dezenas de corporações de bombeiros do país e os helicópteros da força aérea já fazem resgate desde a aquisição dos alouette III à mais de 50 anos atrás (sim o velhinho zangão Alouette III podeser, e era, equipado com um guincho para missões de salvamento com capacidade transportar duas macas e dois socorristas).

Citar
Nesta area nem fazia ideia que ja estivessem em uso, mas ja tinha pensado nesse uso desde que surgiram os drones do tipo helicopetro...
Duvido que usem muito aeronaves de asa rotativa porque já perceberam à muito que conseguem muito mais capacidades e beneficios nas aeronaves de asa fixa. No caso especifico da detecção de minas e explosivos já usam à muito plataformas robóticas terrestres, novamente porque as vantagens são tremendamente maiores que aquela que se obtêm usando uma plataforma voadora.

Citar
A menos que seja num pais de governo totalitario, ninguem vai legislar no sentido de punir os pais de forma efectiva pela maldade ou má educaçao dos filhos, muito menos neste país tao democratico e de brandos costumes.
Sou obrigado a depreender que em tua opinião se um pai compra o tabaco para o filho de 13 anos fumar, ou permite que a mesma criança com 13 anos saia à noite até de manhã no carro dos colegas a frequentar sabe-se lá que tipo de sítios, ou que permite que o mesmo filho se embebede todos os fins de semana e ainda faz uma "festa" quando ele chega a casa bêbado não deva ser punido. Isto é apenas um exemplo real, podiamos ainda entrar pela recusa liminar em vacinar os filhos ou recusa dos medicamentos tradicionais e opção por terapias alternativas como aquela em que se usa o efeito de memória da água diluindo uma molécula de "veneno" em 100 mL de água...

P.S.: Vou mas é dormir que os testamentos já são muito grandes, qualquer coisinha vão dizendo que eu amanhã assim que possível tento responder.

Offline Njay

  • Mini Robot
  • *
  • Mensagens: 3.551
    • Tróniquices
Re: Drone Pessoal
« Responder #37 em: 09 de Junho de 2017, 00:45 »
Eu só tenho a dizer o seguinte: estamos numa democracia portanto, vamos a votos :D!

Offline Kristey

  • Mini Robot
  • *
  • Mensagens: 783
Re: Drone Pessoal
« Responder #38 em: 13 de Junho de 2017, 02:13 »
Antes de mais não me leves a mal, mas não ponhas palavras na minha boca muito menos intenções, não preciso de dar graxa a ninguém. Não sou assim, nunca o fiz, e gosto é de debater as coisas. E determinados contextos exigem determinadas posturas.

Já tive bons convívios com muitos bombeiros a quando de montagem de espectáculos, outros não são tão porreiros porque acham que somos uns incendiários e dai o meu comentário de "vou escrever com cuidado", porque qualquer coisa que se diga, por exemplo em jeito de piada, pode logo levar a discussão e não era esse o meu ponto nem esse o meu objectivo, nesses casos é bom por isso evitar piadas, retóricas e subentendimentos.
Eu sei que o exemplo que dei é sensível, e dai também o cuidado que eu disse que ia falar porque principalmente para vocês que conhecem isto a fundo não deve se fixe ouvir piadas porque acidentes existem em todo o lado e eu so espero que a mim nunca me aconteçam embora não esteja livre deles.
Como disse "determinados contextos exigem determinadas posturas."


Quanto ao teu exemplo do capacete, não tenho grande coisa a apontar, tens razão.
É verdade, e sinceramente agora que penso, nem em Londres onde estive recentemente vi tal obrigatoriedade, o que é estranho, lá ha muita gente que anda de bicicleta mesmo na estrada e assim. E uma queda de bike, as vezes não parece nada, mas é fácil de uma pessoa ficar mesmo mal tratada.



Quanto ao resto o que tu falas é cliché neste e em qualquer meio quando se fala destes temas (legislação e fiscalização)
Não me leves a mal mais uma vez, mas a legislação pode não ter esse objectivo mas acaba por acontecer porque é feita por excesso em muitos casos, e aplicada ainda mais em excesso. Normalmente os problemas vêm onde muitos eventos não passam do papel. E seria simples se houvesse uma estrutura melhor, formações em conjunto, e um trabalho continuo para melhorar as coisas. Mas normalmente o que se faz é proibir e não se fala mais do assunto.

O exemplo que dás é típico principalmente em fogueteiros mais velhos, o alcoolismos é realmente um problema. E muitas vezes deixa mal toda uma classe de profissionais que nos dias de hoje são muito mais que meros bons fogueteiros que aprenderam por experiência e após muita queimadura.
Isso neste momento é um completo amadorismo, porque não faz sentido meter em perigo uma mão, quando há maquinas para tudo.

Obviamente que reconheço os acidentes, mas maior parte deles dão-se:
- em fabrica. (e ai sim deveria ser tudo vistoriado e bem implementado rigorosamente como manda a lei)
- em espectáculos dão se com fogo ilegal (lançado por gente que não o pode lançar e ou por pessoas que tendo credencial estão no grupo que mencionas que gosta mais do tinto do que de outra coisa, mas que venham fiscalizem o material e mandem soprar no balão todos os operadores do local de montagem, com uma obrigatoriedade de dar 0,0 por mim tudo bem e assim deveria ser.)

Quando ao material tecnico novo antes de olhar proibir e tratar com desconfiança, se as coisas funcionassem com formação mutua tanto das autoridades como de quem executa os espectáculos, tudo seria muito melhor E escusava de haver esses problemas e esses braços de ferro.
Mas eu nem estou a falar de coisas novas estou a falar de coisas que já existem, como os simples repuxos que nem queimam a 30 cm da boca, terem uma distancia de segurança de quase 5 metros (eu sei porque, para precaver explosões internas, mas para isso existem suportes que sustêm desses incidentes, sendo que ja passaram milhares pelos meus espectáculos e sempre correu tudo bem, mas tudo bem segurança e prevenção em primeiro lugar ).

Obviamente respondendo à tua pergunta sei as distancias de segurança, e sim pelas normas desse mesmo documento, mais de 50% dos espectáculos não as cumpre, porque se não não havia espectáculos em lado nenhum. Obviamente que há limites, e isso faz lembrar uma vez um pedido de umas babonas de 200mm para lançar no meio de uma aldeia, a comissão de festas claramente não tinham noção das coisas.)

Se o facto de um técnico credenciado e formado não servir para as autoridades então o que está mal é a exigência dessas formações, certo?
Mais uma ve é o sistema que não funciona, as formações deviam ser acreditadas e ter requisitos mínimos.
É o mesmo que por morrerem pessoas electrocutadas agora meteres em causa todos os engenheiros electrotécnicos porque o canudo que ele tirou "ja não pega" porque um maluco decidiu que ligar uma instalação à terra era meter o fio amarelo e verde num balde de terra da orquídea da mulher (sim eu ja vi isto).

A questão das pessoas se magoarem e ser dinheiro de contribuintes também é uma falácia enorme, eu nunca apanhei um coma alcoólico "e ja paguei muitos" (vá la que agora é tudo cuidados pagos pelo doente que se auto infringiu), mas quem diz esta diz outras situações.

Eu disse e bem que deveria haver legislação, e FISCALIZAÇÃO, mas a mesma deve ser próxima do executante seja em que área seja. Nunca em momento algum disse que isto devia ser uma anarquia... O meu pai é inspector numa área também sensível (sim também podem morrer pessoas, e por isso seu bem o quão importante é a fiscalização, vejo cada foto dele que ate fico parvo) e tem sempre montes de gente que lhe liga com duvidas aqui e ali, como fazer isto e aquilo, e nunca o vi a negar uma explicação, ou não querer entender o problema do executante.
Já outros aproveitam-se da legislação para negar tudo que ja só por si é "castradora" porque é feita por excesso  (ou deveria ter adendas para certos tipos de serviço, onde requeria material de melhor qualidade para determinados tipos de coisas). E ha muitas forma de fazer as coisas, e quem trabalha bem aplica-as mesmo não sendo obrigado.

Ja agora o meu cuidado a escrever, foi precisamente pela forma como me respondeste, especialmente o ultimo parágrafo, imagina se eu andasse aqui com piadas ou coisas do género.
Quanto à graxa e aos paninhos quentes:
O meu pai foi bombeiro, o meu padrinho foi Comandante de bombeiros, os meus dois tios foram bombeiros, o meu batizado foi num quartel de bombeiros, o gosto pela pirotecnia foi-me transmitido por um comandante de bombeiros (antecessor do meu padrinho). A minha coleção de Playmobil tinha tudo e mais alguma coisa do que era bombeiros. Fiz voluntariado para a construção da nova central de bombeiros da minha terra juntamente com o meu pai, onde desenvolvemos um painel de zona de incêndio no conselho, no verão passado andei nas minhas ferias a distribuir agua e comida aos bombeiros da minha zona num grande incêndio que houve por la.... se quiseres continuo mas palavras até podes duvidar delas, e uma conversa que poderia ser ser entre amigos de um fórum terminas o teu post com aquele parágrafo que ate parece uma ameaça, não entendo a necessidade disso.

Quanto aos bombeiros serem uma entidade do processo, não tenho qualquer problema em dizer o que faço, quero acreditar que nunca alguma conversa deste tipo tenha repercussões ao ponto de represálias desse tipo, seria ridículo, pouco adulto e pouco profissional. Ninguém está esta aqui a ofender ninguém. Apenas a debater que dentro dos limites controlados da segurança de terceiros as coisas deveriam funcionar. Não faltei ao respeito a ninguém, apenas demonstrei o meu ponto de vista. Podia simplesmente ter ficado na minha e nem comentado se o meu medo fosse ter espectáculos cancelados por causa de uma troca de ideias.


Fazer uma coisa destas em portugal era um bico de obra, e tecnicamente isso não tem nada de inseguro. https://i.ytimg.com/vi/mrg1Q_CJaj4/hqdefault.jpg

Abraço

Offline Kristey

  • Mini Robot
  • *
  • Mensagens: 783
Re: Drone Pessoal
« Responder #39 em: 13 de Junho de 2017, 03:06 »
Quando ao espectáculo por drones, andava ai um video, vou procurar e se encontrar ponho aqui.
Não eram candelas, eram repuxos que qualquer pessoa agarra com dois dedos facilmente. A palavra candeias foi mal utilizada, pelo menos pelo video que eu conheço que é uma empresa credível e com muitos anos de bons espectáculos, e que faz muitos dos espectáculos de Matosinhos.
Se é seguro ou não, não posso dar o meu aval técnico a uma coisa que nunca experimentei nem analisei, mas pelo video e pela analise do que usaram e como usaram, não me pareceu perigoso.

O que é ridículo é a resposta: "as autoridades ainda não estão a par desta inovação tecnológica", isto so acontece por inércia e as legislações fazem-se para nunca mais se mexer.
É isso que eu condeno.
Por exemplo, ja tive grandes discussões com directores de palco que "Não e não e não e não podia usar porque aquilo era perigoso e ia queimar a tenda e o diabo a 4", contudo lança chamas ja era na boa...
Tecnicamente isto é uma aberração, um lança chamas produz uma massa de ar quente muito superior ao que produz um repuxo (obviamente que não vamos falar em alturas porque nunca um repuxo indoor CERTIFICADO atinge uma tenda com 30 metros de altura.)
Mais perigoso são os cabos de aço de segurança que eles não podem nas maquinas de luz (presas nas estruturas a metros de altura e com pelos de mais de 5Kg) e eu ando la de baixo delas sem questionar quem andou a montar aquilo, muitos deles sem dormir e com vários dias de estrada consecutivos...

E é isto que eu me queixo, pessoas sem conhecimento nenhum a mandar bitaites sobre o que não sabem e desconhecem. Portugal esta cheio de entendidos em tudo basta ver por esse facebook fora... é tudo economista, politico internacional, psicólogo, pedagogo etc etc etc
Façam mil perguntas, tenham mil precauções mas confiem em que tem a experiência e a formação para fazer as coisas.
É como disse o jm_araujo, ninguém esta aqui a incentivar que seja tudo à balda e fé em deus :D
Mas é preciso o minimo de confiança em quem dá as garantias de que tudo funcionará bem. Se não ainda andávamos a tomar cha de ervas para curar uma gripe.


Edit:
Encontrei: https://www.facebook.com/SkyVisionPT/videos/927592077368984/
Julguem empiricamente a perigosidade disto, à primeira vista não parece existir, não digo que não precise de testes técnicos, que também não duvido que os terão feito.
« Última modificação: 13 de Junho de 2017, 17:24 por Kristey »

Offline LVirtual

  • Mini Robot
  • *
  • Mensagens: 472
  • http://www.s-tronika.com
    • S-Tronika - Serviços Técnicos de Electrónica
Re: Drone Pessoal
« Responder #40 em: 13 de Junho de 2017, 08:07 »
para nao estar a gastar uma pagina inteira com citaçoes no post, escrevo assim direto em resposta aos comentarios em que o artur me citou e usando tambem as palavras do kristey na parte em que ele diz que é suposto isto ser um debate entre "amigos" acerca das possibilidades da segurança de pessoas em diversas situaçoes mais "perigosas".

Artur assim como ele nao tenho nada contra "a segurança acima de tudo" mas tenho muito contra a "excessiva regulamentação com base no medo ancestral do desconhecido" que faz com que os seres humanos ao fim de milhares de anos ainda estejam a "brincar com tecnologia na janela do quarto" por assim dizer...

Restringindo o debate à area da proteção contra incendios que é a que eventualmente conheces melhor e eu tambem conheço alguma coisa, já ha algumas decadas que mesmo neste país á beira mar plantado podiamos ter muitos dispositivos tecnologicos a ajudar tanto na prevençao como no proprio combate a incendios e nao falo so dos incendios florestais. Nas habitaçoes tanto nas vilas mais pequenas como nas grandes cidades, ja se usam diversos sistemas domoticos para prevençao e extinçao de incendios e cada vez mais esses sistemas entram na area da robotica pura. pelo que tenho visto em varios sites e videos de alguns fabricantes de sistemas domoticos qualquer dia nao vivemos numa casa mas sim dentro de um robot de grosso modo.

Mesmo a intervenção diaria dos bombeiros numa cidade é bastante diferente da intervençao dos mesmos nas areas rurais, e é precisamente essa area quanto a mim que tem espaço para muitas inovaçoes tecnologicas ainda.
Ja se tem algumas do ponto de vista da prevençao com os sistemas de vigilancia florestal em postos fixos, mas se houvesse plataformas voadoras a baixa altitude com camaras de infravermelhos e outras e sensores apropriados á detecção de calor excessivo e ou fogo, bem como detectores de pessoas com ar suspeito e que fixasse as coordenadas exactas numa dessas situaçoes e fizesse por exemplo um dos satelites de vigilancia fixar as suas lentes no local de forma automatica assim um bocado á maneira dos filmes de hollywood, mas que pode ser real assim o queiram, nao seria mais eficaz na detençao dos incendiarios e na prestaçao imediata de apoio para apagar o ponto inicial do fogo?
se uma paltaforma destas mesmo a que se viu no video que deu origem a este debate, consegue transportar uns 90 quilos de "carne humana" mais a tara do veiculo, nao poderia transportar uns 100 kilos de pó de extintor por exemplo para o atirar no local preciso da igniçao do incendio?
e ainda ter por exemplo um minidrone com imagem via radio que saisse automaticamente da plataforma para seguir o incendiario e orientar tanto os bombeiros como a policia na sua perseguiçao?

para alguns aqui deste forum isto é capaz de parecer cenas do NCIS, mas nao é. é algo que a tecnologia permite fazer hoje em dia mas ninguem o faz porque a inercia do "deixa-me estar que eu deixo-te ser" é quase impossivel de ser vencida neste país e noutros...

A tecnologia dos drones e dos robot's é algo que se bem usado permite aos seres humanos modificarem muitos comportamentos para melhor em beneficio de todos.

Sabendo os incendiarios que tem constantemente um drone ou varios a sobrevoar as zonas florestais, quantos achas que se atrevem a ir pro mato pegar fogo as arvores?
basta aplicar o mesmo principio de vigilancia que se aplicou quando as pessoas começaram a instalar sistemas de alarme nas suas casas. os assaltos diminuiram e em muito por conta dos autocolantes e led's pisca pisca magicos nas paredes e montras das lojas e das casas. acredita que muitos desses led's pisca pisca principalmente em automoveis nao passam disso mesmo, led pisca pisca, de sistema vigilante nao tem nada. mas tem o efeito persuassor que é muito importante.

nem era preciso ter plataformas voadoras muito sofisticadas em certas zonas mais propensas a serem incendiadas para os potenciais criminosos pensarem duas vezes ao saber que poderiam estar a ser filmados no momento do acto criminoso.
Manter um vigilante numa torre de vigia a olhar para areas de muitas dezenas de kilometros quadrados de arvores nao impede um criminoso de atear um fogo, mas se tiver um drone a dar voltinhas por cima da sua cabeça podes crer que ele pensa duas vezes.
e isto é apenas uma ideia simples para uma utilizaçao util dos drone ou plataformas voadoras.

se houver interesse desta comunidade ainda encontra-mos aqui mais umas dezenas de utilizaçoes so na prevençao e segurança de seres humanos e bens materiais.

ate mesmo no fabrico de pirotecnia se podia usar mini-robots controlados a distancia pelos actuais produtores de material pirotecnico. numa industria tao perigosa nao percebo porque ainda se continua a fazer tudo por seres humanos neste pais, os braços roboticos ja nao sao assim tao caros como isso. e se calhar ate sao mais precisos a fazer as misturas explosivas e menos sujeitos a erros e a tremores musculares devido ao medo de explodir.
mas isto é a minha opiniao...
;)
"O defeito mais grave dos humanos, aquele que coloca mais obstáculos à sua evolução, é a crença profundamente arreigada na infalibilidade dos seus raciocínios e dos seus pontos de vista."

Offline senso

  • Global Moderator
  • Mini Robot
  • *****
  • Mensagens: 9.712
  • Helpdesk do sitio
Re: Drone Pessoal
« Responder #41 em: 13 de Junho de 2017, 15:26 »
Portugal é pequenino, mas não é assim tão pequenino, tens ideia de quantos km^2 de pinhais e matas existe em Portugal?
Tinhas de ter milhares de drones a passear pelo ar..

Não é impossivel não, mandas um mail á Thales e pedes o preço de uma camera térmica para ai FHD, depois de dizeres que és primo de um ministro porque só vendem material desse a governos/exército, depois é só pendurar a camera num drone, e algo estilo um Jetson para o processamento de imagem e um uplink satélite, porque no mato não há rede do telemóvel, e pronto, tens ai 100k € no drone, multiplica por uns mil.

Agora arranja fundos para isso, quando tens N corporações de bombeiros com contas de gasóleo por pagar, ou veiculos do tempo do Salazar, e agora pensas que na televisão realmente é mais barato de se fazer.

Para além de que se espetares um drone no meio de um pinhal por se acabar a pilha porque apanhaste vento de frente que não contavas ainda começas tu um incêndio lol.

Obviamente que podes fazer um proof of concept com um emissor 900Mhz para FPV, e um Flir Lepton e um cortex M3 ou M4 e um quad de 300-400€ da hobby-king, só que  a coisa não escala linearmente no preço.

E com um drone a 30-40m de altura ou mais mesmo com uma camera FHD só com um monte de zoom é que vais ver a cara do tal sujeito.
Avr fanboy

Offline LVirtual

  • Mini Robot
  • *
  • Mensagens: 472
  • http://www.s-tronika.com
    • S-Tronika - Serviços Técnicos de Electrónica
Re: Drone Pessoal
« Responder #42 em: 13 de Junho de 2017, 15:44 »
Portugal é pequenino, mas não é assim tão pequenino, tens ideia de quantos km^2 de pinhais e matas existe em Portugal?
Tinhas de ter milhares de drones a passear pelo ar..

Não é impossivel não, mandas um mail á Thales e pedes o preço de uma camera térmica para ai FHD, depois de dizeres que és primo de um ministro porque só vendem material desse a governos/exército, depois é só pendurar a camera num drone, e algo estilo um Jetson para o processamento de imagem e um uplink satélite, porque no mato não há rede do telemóvel, e pronto, tens ai 100k € no drone, multiplica por uns mil.

Agora arranja fundos para isso, quando tens N corporações de bombeiros com contas de gasóleo por pagar, ou veiculos do tempo do Salazar, e agora pensas que na televisão realmente é mais barato de se fazer.

Para além de que se espetares um drone no meio de um pinhal por se acabar a pilha porque apanhaste vento de frente que não contavas ainda começas tu um incêndio lol.

Obviamente que podes fazer um proof of concept com um emissor 900Mhz para FPV, e um Flir Lepton e um cortex M3 ou M4 e um quad de 300-400€ da hobby-king, só que  a coisa não escala linearmente no preço.

E com um drone a 30-40m de altura ou mais mesmo com uma camera FHD só com um monte de zoom é que vais ver a cara do tal sujeito.

 mas ves que ja tens ai por onde começar a investigaçao num sistema de vigilancia em plataforma voadora?
teria sido mais bem aplicado em drones de incendio, o dinheiro que governos anteriores gastaram em computadores magalhaes e submarinos e se calhar ate dava para meter um drone por Km quadrado...
digo eu nao sei...

é uma questao de tempo para desenvolverem estas plataformas para niveis de segurança e preço suficientemente capazes de serem comprados a um custo medio para estas finalidades...
é tudo uma questao de bom senso, passe a expressao ;) e de vontade dos governantes de investirem naquilo que realmente é util ao estado.

;)
"O defeito mais grave dos humanos, aquele que coloca mais obstáculos à sua evolução, é a crença profundamente arreigada na infalibilidade dos seus raciocínios e dos seus pontos de vista."

Offline Njay

  • Mini Robot
  • *
  • Mensagens: 3.551
    • Tróniquices
Re: Drone Pessoal
« Responder #43 em: 13 de Junho de 2017, 16:19 »
Por acaso tenho para aqui encalhada há anos uma ideia para um sistema de vigilância florestal. Tenho a sensação de que até já falei nisso se calhar aqui mesmo neste fórum. Mas a ideia "é simples". Desconheço detalhes exactos mas existem os chamados "vértices geodésicos", que são "pilares" que marcam coordenadas e que têm a particularidade de, a partir de um, serem visíveis outros (https://pt.wikipedia.org/wiki/V%C3%A9rtice_geod%C3%A9sico).

A ideia era ter um aparelho no topo de cada um destes vértices,

1) alimentado unicamente a energia solar (só há fogo no Verão)
2) comunicação por rede em que todos formam uma malha e apenas 1 tem ligação para "o exterior" (GSM, satelite, whatever)
3) um simples de sistema de detecção de fogo - um sensor de fogo (há coisas destas, penso que são detectores UV ou coisa que o valha) em linha vertical (tipo 5 ou 6 "pixeis"), com rotação de 360º
4) eventualmente a antena de comunicação poderia ser direccional (maior alcance) e tb montada na parte rotativa
5) a identificação mais precisa do local do fogo, assim como confirmação de fogo, poderia ser feita pela triangulação de vários dispositivos nos vértices geodésicos (os vértices geodésicos servem mesmo para triangulação)

Penso que seria um dispositivo barato. No Inverno até poderiam desligar por falta de energia, não é um problema pois tb só há fogos no Verão ou principalmente no Verão. Uma vez identificado um foco de incêndio então podem enviar o vosso drone para reconhecimento e já com o 1º extintor :D

Camaras térmicas (assim como as não térmicas) esbarram nas leis da privacidade e por isso tb não existem por aí "à maluca", além de serem caras.

Offline Kristey

  • Mini Robot
  • *
  • Mensagens: 783
Re: Drone Pessoal
« Responder #44 em: 13 de Junho de 2017, 16:49 »
NJay, o Sol emite IV, e ele reflete por todo o lado.
Eu fiz uma coisa assim, mas para ser o protótipo de uma rede mesh a implementar em zonas de perigo importantes (Campos de eucaliptos por exemplo onde as companhias do papel têm os seus próprios bombeiros e mecanismos de proteção e deteção, parques naturais e coisas desse género)

A coisa tinha varios sensores, e um deles era de IR mas acabamos por tapar porque estava sempre a dar falsos positivos.
A coisa dessa forma tem sempre de ser feita com câmeras e processamento de imagem de comparação.

senso já ha cameras infra-vermelhas baratas, bem a baixo desde preço.