collapse

* Posts Recentes

Carregador Solar para Baterias - EBay por almamater
[20 de Setembro de 2019, 21:57]


Trituradora/Destruidora de cartão em tiras por m90mine
[20 de Setembro de 2019, 17:29]


Ajuda na identificação de componente de portatil por m90mine
[20 de Setembro de 2019, 17:19]


Loja online "McMaster" na europa? por senso
[09 de Setembro de 2019, 23:54]


Pasta térmica por thx1011
[04 de Setembro de 2019, 19:35]


Livros opensource de electrónica, transístores e OpAmps. por thx1011
[03 de Setembro de 2019, 19:56]


Que métodos utilizam para limpar as vossas placas após soldadura? por KammutierSpule
[21 de Agosto de 2019, 22:42]


Contas para saber a duração das baterias. por vasco
[21 de Agosto de 2019, 11:10]


Fabricantes de PCB e Assemblage (produção em massa) por Kristey
[21 de Agosto de 2019, 08:51]


Máquina de soldar a fio sem gás LIDL por Hugu
[16 de Agosto de 2019, 18:28]

Autor Tópico: Medição de factor de potência em intensidades não sinusoidais  (Lida 3817 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.

Offline artur36

  • Mini Robot
  • *
  • Mensagens: 795
Re: Medição de factor de potência em intensidades não sonusoidais
« Responder #15 em: 24 de Janeiro de 2018, 06:39 »
Caro Artur36,

Repare que a reactiva não tem sido o que está em, causa mas desvios no factor de potência motivado por consumos não lineares mesmo que em sinusóides. Esse caso, os correctores de factor de potência habituais não resolvem.

Ou resolvem? Se resolverem, explique-nos como.

SC

Quando tiver acabado de fazer a simulação explique-nos como é que a energia reactiva não está em causa, quando por definição o factor potência é o produto entre a potência aparente e a potência activa, e a potência aparente é a soma vectorial da potência activa com a potência reactiva?
Se retirarmos milagrosamente a energia reactiva da equação tempos que o factor potência seria igual ao produto da potência activa com a potência activa, que é o mesmo que fizer que seria igual a um, pelo que não existiria lugar a pagamento de energia reactiva. Sim, se  verifica-se uma factura de uma instalação com um baixo factor potência veria que o que é cobrado é a energia reactiva (KVAr).



Offline SerraCabo

  • Mini Robot
  • *
  • Mensagens: 796
    • Serra Cabo
Re: Medição de factor de potência em intensidades não sonusoidais
« Responder #16 em: 24 de Janeiro de 2018, 08:41 »
Artur36:
Citar
Primeiro que tudo faça uma simulação devida ao circuito que descreveu em vez de colar uma imagem ao calhas

A imagem é o que resulta exactamente de uma simulação em PSpice.

Citar
o que está representado é rectificação de meia ponte

Se puder explicar esta ...

Citar
a corrente na carga irá suavizar, mudando a forma do pico

Não vai suavizar coisa alguma porque, conforme explicado junto à imagem, o pico é de corrente (intensidade).

A única forma se 'suavizar' o pico (torná-lo mais curto e menos intenso) é baixando  valor do condensador o que aumenta a variação de tensão no condensador.

Não comento o resto do seu texto porque, perante os problemitas que apontei parece-me não fazer sentido.

Volto a chamar a atenção que  que está em causa são fenómenos não resultantes de desfasamentos.

Citar
São correctores activos, que monitorizam a linha e ajustam-se de acordo com a mesma.

Sim. Mas como resolve eles os fenómenos tais como eu os aponto no post inicial?

« Última modificação: 24 de Janeiro de 2018, 08:43 por SerraCabo »

Offline artur36

  • Mini Robot
  • *
  • Mensagens: 795
Re: Medição de factor de potência em intensidades não sonusoidais
« Responder #17 em: 24 de Janeiro de 2018, 13:21 »
A imagem é o que resulta exactamente de uma simulação em PSpice.

Citar
o que está representado é rectificação de meia ponte

Se puder explicar esta ...

Citar
a corrente na carga irá suavizar, mudando a forma do pico

Não vai suavizar coisa alguma porque, conforme explicado junto à imagem, o pico é de corrente (intensidade).

A única forma se 'suavizar' o pico (torná-lo mais curto e menos intenso) é baixando  valor do condensador o que aumenta a variação de tensão no condensador.

Não comento o resto do seu texto porque, perante os problemitas que apontei parece-me não fazer sentido.

Volto a chamar a atenção que  que está em causa são fenómenos não resultantes de desfasamentos.

Os enormes problemas que apresenta revelam o seu enorme desconhecimento sobre as leis mais básicas da electricidade.

No circuito Linear que descreve:
...percebo bem.
E quanto a correntes como esta?

Traço verde a tensão, vermelho a corrente.

É de uma fonte alimentada a AC com uma ponte, um condensador e uma resistência de carga. A intensidade é medida à saída da ponte.
A corrente na carga depende única e exclusivamente Tensão que é aplicada aos seus terminais e como tal se estabilizamos a tensão como consequência estabilizamos a corrente.

Rectificação de meia ponte é o que está representado claramente para a carga Linear descrita, rectificação de ponte completa é bastante diferente disso. Se não sabe o que é rectificação de meia ponte ou de ponte completa nem vale a pena discutirmos qualquer assunto relacionado com electrónica, é o base dos bases.

Offline Njay

  • Mini Robot
  • *
  • Mensagens: 3.433
    • Tróniquices
Re: Medição de factor de potência em intensidades não sonusoidais
« Responder #18 em: 24 de Janeiro de 2018, 13:43 »
A rectificação de meia onda (acho que é isto a que se referem quando dizem "meia ponte") não teria corrente a ser puxada apenas em metade dos impulsos ciclos (os negativos ou os positivos)?
« Última modificação: 24 de Janeiro de 2018, 14:05 por Njay »

Offline SerraCabo

  • Mini Robot
  • *
  • Mensagens: 796
    • Serra Cabo
Re: Medição de factor de potência em intensidades não sonusoidais
« Responder #19 em: 24 de Janeiro de 2018, 13:45 »
Citar
A corrente na carga depende única e exclusivamente Tensão que é aplicada aos seus terminais e

Seus terminais? De que componente?

Citar
como tal se estabilizamos a tensão como consequência estabilizamos a corrente.

Não. O que é estabilizar uma tensão alternada que através de uma ponte alimenta um condensador e uma carga, para obter por essa via uma estabilização de corrente? Onde foi buscar esta? É capaz de dar um exemplo?

Citar
rectificação de ponte completa é bastante diferente disso.

Sim? Perdeu uma boa oportunidade para dar um exemplo.

Citar
nem vale a pena discutirmos qualquer assunto relacionado com electrónica, é o base dos bases.

Pois não. O caro não faz a mínima ideia do que fala. Dispara uns papos para o ar e por aí se fica.

Offline SerraCabo

  • Mini Robot
  • *
  • Mensagens: 796
    • Serra Cabo
Re: Medição de factor de potência em intensidades não sonusoidais
« Responder #20 em: 24 de Janeiro de 2018, 13:46 »
NJay;
Citar
A rectificação de meia onda (acho que é isto a que se referem quando dizem "meia ponte") não teria corrente a ser puxada apenas em metade dos impulsos (os negativos ou os positivos)?

Pois claro. É o b-a-ba.

SC

Offline jm_araujo

  • Mini Robot
  • *
  • Mensagens: 2.528
  • NERD!
Re: Medição de factor de potência em intensidades não sonusoidais
« Responder #21 em: 24 de Janeiro de 2018, 13:55 »
O que eu entendi é que esse diagrama mostra a tensão AC à entrada e a corrente à saida de uma ponte completa ligada a um condensador e com uma carga resistiva ou similar. Por ser ponte completa é que tens corrente nos 2 meios ciclos do AC. E por teres um condensador só tens corrente quando a tensão aos terminais do mesmo cai abaixo da tensão da ponte. Algo assim: Simulação

Apesar que agora que meti no simulador verifico que a forma da corrente está um bocado diferente e não sei bem como o SerraCabo conseguiu aquele resultado. Mas para a discussão vai dar ao mesmo.

Quanto a factor de potências e PFC, sei o suficiente mas não tanto que consiga entrar na discussão. Mas achei que o artigo da wikipédia está bastante completo, cobrindo muito do que já por aqui se disse: https://en.wikipedia.org/wiki/Power_factor
« Última modificação: 24 de Janeiro de 2018, 14:01 por jm_araujo »

Offline Njay

  • Mini Robot
  • *
  • Mensagens: 3.433
    • Tróniquices
Re: Medição de factor de potência em intensidades não sonusoidais
« Responder #22 em: 24 de Janeiro de 2018, 14:29 »
A forma exacta da onda de corrente à saída da ponte depende da carga e do valor de capacidade do condensador.

Offline SerraCabo

  • Mini Robot
  • *
  • Mensagens: 796
    • Serra Cabo
Re: Medição de factor de potência em intensidades não sonusoidais
« Responder #23 em: 24 de Janeiro de 2018, 14:38 »
Citar
Apesar que agora que meti no simulador verifico que a forma da corrente está um bocado diferente e não sei bem como o SerraCabo conseguiu aquele resultado.

Se aumentar substancialmente o valor do condensador, diminui o ripple, centra mais o pico de intensidade, aumenta a intensidade de pico e a intensidade fica com menos pinta de dente de serra.

Mas, como diz e bem, para o caso é pouco relevante, razão pela qual quando simulei o circuito de que resulta o gráfico, devo ter exagerado, sem me preocupar, o valor do condensador.

Entretanto a malta vai dizendo que as fontes são agora produzidas para não fazerem aquele espalhafato e eu registo essa possibilidade. Não tenho essa exacta impressão mas ficarei atento.

SC

Offline Njay

  • Mini Robot
  • *
  • Mensagens: 3.433
    • Tróniquices
Re: Medição de factor de potência em intensidades não sonusoidais
« Responder #24 em: 24 de Janeiro de 2018, 14:49 »
Já agora, o circuito original do 1º post não tem um factor de potência de aproximadamente 1? A corrente está grosso modo sincronizada com a tensão...

Offline jm_araujo

  • Mini Robot
  • *
  • Mensagens: 2.528
  • NERD!
Re: Medição de factor de potência em intensidades não sonusoidais
« Responder #25 em: 24 de Janeiro de 2018, 15:06 »
Para o caso e pelo que entendi pelo artigo da wikipedia, nesses casos o importante é o factor de distorção em vez do factor de potência, que como já foi dito os PFCs corrigem hoje em dia.

Offline SerraCabo

  • Mini Robot
  • *
  • Mensagens: 796
    • Serra Cabo
Re: Medição de factor de potência em intensidades não sonusoidais
« Responder #26 em: 24 de Janeiro de 2018, 16:07 »
Citar
o importante é o factor de distorção

É uma espécie das duas faces da mesma moeda. Mas sim. Quem apanha com a distorção (que ele próprio os outros geram) vê-se em palpos de aranha quando usa equipamentos mais ou menos motorizados (motores eléctricos) convencionais.

A conversa inicial ia pela minha lacuna sobre a abordagem deste tipo de encrenca no mundo da medição do factor de potência.

Offline artur36

  • Mini Robot
  • *
  • Mensagens: 795
Re: Medição de factor de potência em intensidades não sonusoidais
« Responder #27 em: 24 de Janeiro de 2018, 22:25 »
Citar
A corrente na carga depende única e exclusivamente Tensão que é aplicada aos seus terminais e

Seus terminais? De que componente?

Se voltar a ler o excerto em que destaquei a bold acima verá que diz lá claramente que é aos terminais da carga,
No circuito Linear que descreve:
...percebo bem.
E quanto a correntes como esta?

Traço verde a tensão, vermelho a corrente.

É de uma fonte alimentada a AC com uma ponte, um condensador e uma resistência de carga. A intensidade é medida à saída da ponte.
A corrente na carga depende única e exclusivamente Tensão que é aplicada aos seus terminais e como tal se estabilizamos a tensão como consequência estabilizamos a corrente.

Refere que a corrente é que medida à saída da ponte logo a carga que define a corrente é a resistência, e como esta é dada por I=U/R se a resistência é fixa logo a corrente depende unicamente da tensão aplicada aos terminais da resistência.

Citação de: SerraCabo
Citar
como tal se estabilizamos a tensão como consequência estabilizamos a corrente.

Não. O que é estabilizar uma tensão alternada que através de uma ponte alimenta um condensador e uma carga, para obter por essa via uma estabilização de corrente? Onde foi buscar esta? É capaz de dar um exemplo?

Repare que a reactiva não tem sido o que está em, causa mas desvios no factor de potência motivado por consumos não lineares mesmo que em sinusóides. Esse caso, os correctores de factor de potência habituais não resolvem.
Ou resolvem? Se resolverem, explique-nos como.
SC

Primeiro que tudo faça uma simulação devida ao circuito que descreveu em vez de colar uma imagem ao calhas, ao adicionar um condensador à saída de uma ponte (o que está representado é rectificação de meia ponte) a corrente na carga irá suavizar, mudando a forma do pico, com um condensador suficientemente grande terá uma tensão "constante" na carga e como tal a corrente também será "constante".

Volto a repetir o condensador à saída da ponte rectificadora é lá colocado para estabilizar a tensão DC eliminando a forma de meia-onda e aproximando a tensão de um valor constante, se a tensão é constante a corrente a atravessar a carga é também ela constante.

Citação de: SerraCabo
Citar
rectificação de ponte completa é bastante diferente disso.
Sim? Perdeu uma boa oportunidade para dar um exemplo.

Citar
nem vale a pena discutirmos qualquer assunto relacionado com electrónica, é o base dos bases.

Pois não. O caro não faz a mínima ideia do que fala. Dispara uns papos para o ar e por aí se fica.
Aqui está um erro efectivamente meu na análise do gráfico apresentado, o gráfico apresenta efectivamente corrente nas duas metades da onda de origem revelando a rectificação de ponte\onda completa.

Errar e saber reconhecer os erro é na verdade muito diferente de não fazer a mínima ideia do que falo.

Offline artur36

  • Mini Robot
  • *
  • Mensagens: 795
Re: Medição de factor de potência em intensidades não sonusoidais
« Responder #28 em: 24 de Janeiro de 2018, 22:40 »
O que eu entendi é que esse diagrama mostra a tensão AC à entrada e a corrente à saida de uma ponte completa ligada a um condensador e com uma carga resistiva ou similar. Por ser ponte completa é que tens corrente nos 2 meios ciclos do AC. E por teres um condensador só tens corrente quando a tensão aos terminais do mesmo cai abaixo da tensão da ponte. Algo assim: Simulação

Apesar que agora que meti no simulador verifico que a forma da corrente está um bocado diferente e não sei bem como o SerraCabo conseguiu aquele resultado. Mas para a discussão vai dar ao mesmo.

Quanto a factor de potências e PFC, sei o suficiente mas não tanto que consiga entrar na discussão. Mas achei que o artigo da wikipédia está bastante completo, cobrindo muito do que já por aqui se disse: https://en.wikipedia.org/wiki/Power_factor
Araújo obrigado pela simulação que ajudou a perceber os meus erros de interpretação, efectivamente a corrente é como dizes se medida à saída da ponte, eu estava a pensar unicamente na corrente na resistência que circula apenas no circuito formado pela resistência e pelo condensador, essa corrente na resistência é efectivamente "constante". A corrente que circula entre a ponte rectificadora e o condensador é efectivamente a apresentada no post inicial.
Simulação com o plot das duas correntes onde se percebe a diferença
P.S.: gostei do simulador e do pormenor de dar para partilhar um link já com a simulação a correr.