collapse

* Links de Robótica

* Posts Recentes

Power_OK Enermax por almamater
[Hoje às 12:10]


Feira de electricidade e eletrónica por edeweld
[Hoje às 02:02]


Recomendação de um opamp para um DAC r2r por jm_araujo
[Ontem às 10:48]


RN42 e TP-Link MR3020 por doiga
[22 de Novembro de 2017, 19:22]


Ajuda Projecto IR / RF por senso
[22 de Novembro de 2017, 13:15]


Ideias para construir um quadrúpede simples por dropes
[21 de Novembro de 2017, 22:43]


Ajuda com TRIAC por senso
[17 de Novembro de 2017, 18:00]


TV LG White Screen por almamater
[15 de Novembro de 2017, 08:37]


Pergunta sobre prototipagem ( Pesquisa ) por luisjustin
[14 de Novembro de 2017, 23:22]


Medir Agua que está no Poço por Njay
[14 de Novembro de 2017, 13:28]

Autor Tópico: Electrónica usada no seu pior (neste caso nem é usada)  (Lida 2463 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.

Offline tr3s

  • Administrator
  • Mini Robot
  • *****
  • Mensagens: 811
  • char x=1, y=5; x^=y^=x^=y;
Electrónica usada no seu pior (neste caso nem é usada)
« em: 22 de Janeiro de 2010, 19:07 »
Esta é uma notícia que ao mesmo tempo que me fez rir (por ser tão surreal)  mas também me fez ficar chocado. Acredito que vos vai provocar o mesmo turbilhão de sentimentos.


Vejam estes dois links:

http://www.timesonline.co.uk/tol/news/uk/article6997859.ece

http://news.bbc.co.uk/2/hi/programmes/newsnight/8471187.stm

OS links falam do mesmo assunto mas ambos revelam diferentes pormenores do sucedido.

Resumindo a história o que aconteceu foi o seguinte:
Uma empresa do Reino Unido, a ATSC, vendeu um aparelho chamado ADE-651 a vários países ao longo de 10 anos. Mais recentemente o Governo Iraquiano gastou mais de 85 Milhões de dólares deste equipamento a esta empresa. O que o ADE-651 faz, supostamente, é detectar explosivos. A empresa afirma que em condições excepcionais consegue detectar explosivos a mais de 3 km de distância!
Após a recente vaga de explosões no Iraque uma equipa de pessoas decidiu investigar estes "detectores" mágicos. Mágicos porque chegaram à conclusão que estes detectores não passam de um bocado de plástico com uma vareta retráctil!  :o :o
É verdade, estes aparelhos não têm rigorosamente nada de electrónica, não têm baterias, não têm microntroladores, apenas plástico e um pedaço de metal. Há uma saliência onde o utilizador pode introduzir um cartão de plástico que está, supostamente, programado para detectar diferentes materiais, entre eles e segundo o manual de instruções, Elefantes, Humanos e até notas de 100 dolares. ¿Por que será que as de 50 não dão? ::)
Um cientista que investigou estes cartões (vejam o vídeo do segundo link onde ele faz o teste aos cartões)

Citar
Não existe nada para programar estes cartões. Não têm qualquer tipo de armazenamento ou memória. Não ha microcontrolador. Não é possível, de maneira nenhuma que este cartão guarde informação!
Dr Markus Kuhn

Esta empresa já está a ser investigada e o governo do Reino Unido já proibiu todas as exportações desta empresa.
A empresa defende-se dizendo que se o aparelho não detecta as bombas a culpa é do utilizador e não do aparelho!

Fico profundamente revoltado por existirem empresas como esta. Só de pensar na quantidade de pessoas que já morreu no Iraque em atentados suicidas, desnecessariamente pois os explosivos poderiam ter sido detectados se as forças de segurança tivessem um detector a sério...

A imagem que empresas como esta passam ao mundo é lamentável. Nós, hobbystas ou profissionais de electrónica/robótica perdemos um pouco da nossa credibilidade/cotação graças a empresas como esta.

Mais uma vez, leiam bem os dois links que indiquei em cima.

Partilhem a vossa opinião, não me quero sentir sozinho :P
« Última modificação: 22 de Janeiro de 2010, 19:09 por tr3s »
Tr3s
Daniel Gonçalves

Offline Sensation

  • Mini Robot
  • *
  • Mensagens: 29
Re: Electrónica usada no seu pior (neste caso nem é usada)
« Responder #1 em: 22 de Janeiro de 2010, 19:23 »
Boas,

Não sei se heide rir ou ficar estupefacto, é como tu dizes, só de pensar na quantidade de pessoas que perdeu a vida a pensar que aquele aparelho ia detectá-las e no minuto a seguir.. BOOM.. é um bocado chocante, felizmente que proibiram a sua exportação. Chegar ao ponto de enganar as pessoas com o cartão "de memória" apenas para ganhar dinheiro. Não dá pa perceber como são capazes disto.. Eles é que sao os assassinos de todos os soldados que morreram ao usar este aparelho, aparentemente de confiança, e afinal...

É realmente lamentável..

Offline joao rexinho

  • Mini Robot
  • *
  • Mensagens: 183
  • http://sites.google.com/site/roboticaelectronica/
Re: Electrónica usada no seu pior (neste caso nem é usada)
« Responder #2 em: 22 de Janeiro de 2010, 19:30 »
Eu acho que os deviam prender a todos por vigarice e cumplice dos atentados. >:( >:( >:(
http://sites.google.com/site/roboticaelectronica/home
Estudante de Engenharia Eletrônica e Telecomunicações em Aveiro

Offline CBX

  • Mini Robot
  • *
  • Mensagens: 1.315
Re: Electrónica usada no seu pior (neste caso nem é usada)
« Responder #3 em: 22 de Janeiro de 2010, 20:13 »
maior scam da história  :o

Offline PDI

  • Mini Robot
  • *
  • Mensagens: 677
Re: Electrónica usada no seu pior (neste caso nem é usada)
« Responder #4 em: 22 de Janeiro de 2010, 20:34 »
Independentemente do vigarista que deve de ser punido, talvez até por morte involuntária(ou talvez não tão involuntária), quem deve de pagar por comprar merds que não servem para nada sem experimentar, sem ser periodicamente testadas para verificar se se encontram em plena condição de funcionamento, são equipamentos dos quais dependem vidas humanas ( quando depende a vida to a borrifar-me para o bem material, não que não goste), esses sim deveriam ser condenados muito mais do que o vendedor.
Alfredo Garcia

Offline tcustodio

  • Mini Robot
  • *
  • Mensagens: 344
  • "beware of programmers who carry a soldering iron"
    • Youtube
Re: Electrónica usada no seu pior (neste caso nem é usada)
« Responder #5 em: 22 de Janeiro de 2010, 20:57 »
concordo com o PDI, mesmo que o vigarista tenha agido extremamente mal, pior que ele é quem confia de imediato no funcionamento do produto sem ter provas. Será que no meio daquela gentinha toda não houve um curioso, ou alguém com conhecimento suficiente para desconfiar das tretas que diziam daquilo? Funcionar só com a electricidade estática do nosso corpo, os nossos níveis de stress e relaxamento afectarem o seu funcionamento, capaz de detectar até humanos, elefantes, e notas de 100 dólares (sim, porque com certeza que quimicamente são diferente das outras!  ;)), capaz de detectar os materiais em questão num raio de 1km: só com esta, definitivamente não precisávamos de pilhas! bora usar a electricidade estática do corpo... mais um pouco e temos um fato de iron man só ca nossa electricidadezita estática... Enfim... cegos a serem guiados por outro cego
Tiago Custódio,
- Não me dêem álcool se estiver um piano por perto.

Offline TigPT

  • Administrator
  • Mini Robot
  • *****
  • Mensagens: 5.235
    • Tiago Rodrigues
Re: Electrónica usada no seu pior (neste caso nem é usada)
« Responder #6 em: 22 de Janeiro de 2010, 21:09 »
Sabem o que vos tenho a dizer?!... Esses cartões são muita fraquinhos ao lado do meu gerador de números do euromilhões... "Queh comprar!?"

Agora a sério... realmente, é mau vender gato por lebre, mas é pior ainda estar a meter nas mãos de funcionários/utilizadores produtos que não foram analisados, testados e comprovados... É como estar a fornecer uma impressora sem tinta, pior... uma caixa de plástico como impressora, mas ninguém a testa.

Realmente, há muita coisa mal neste mundo, e a pior de todas é a falta de espírito crítico e QI das pessoas que se encontram em lugares de chefia. Ninguém tem as mesmas características, mas é por isso que os chefias deviam ser são responsáveis pelos seus subordinados.

Offline tr3s

  • Administrator
  • Mini Robot
  • *****
  • Mensagens: 811
  • char x=1, y=5; x^=y^=x^=y;
Re: Electrónica usada no seu pior (neste caso nem é usada)
« Responder #7 em: 22 de Janeiro de 2010, 21:27 »
Concordo, mas também devemos ter em conta o cenário actual do país em questão.
Uma crise profunda, guerra e o background cultural? A maioria dos chefes de estado do Iraque têm o equivalente ao 6º ano do nosso país. Isto para dizer que que tomou as decisões no Iraque provavelmente é leigo na matéria e foi/foram enrolado(s) numa conversa extremamente técnica.

 Mas não é preciso ir muito longe, até mesmo em Portugal se tomam decisões sem qualquer conhecimento na área.

Exemplo: num canal onde trabalhei construiu-se um estudio, a direcção é que decidiu comprar as coisas, não perguntaram aos funcionarios que trabalham com material todos os dias o que era melhor comprar e qual era a melhor maneira de fazer o estudio. Resultado? Foi comprado o material mais caro possivel e não era o melhor (mais caro não é sinonimo de melhor), construiu-se mal o estudio por ignorância de quem decidiu que ia ser assim e agora um estúdio de milhões de euros não da para fazer metade do que se fazia no antigo! Dificuldades técnicas, má localização das coisas, acessos complicados, limitação do próprio material fazem com que a qualidade das produções feitas ali seja reduzida.

Agora imaginem o que fazem os nossos governantes...
Há duas ou três destas histórias no nosso exercito!
« Última modificação: 22 de Janeiro de 2010, 21:34 por tr3s »
Tr3s
Daniel Gonçalves

Offline TigPT

  • Administrator
  • Mini Robot
  • *****
  • Mensagens: 5.235
    • Tiago Rodrigues
Re: Electrónica usada no seu pior (neste caso nem é usada)
« Responder #8 em: 22 de Janeiro de 2010, 21:30 »
Sem ir muito longe, sei de uma multinacional que andam muito preocupada com lean (emagrecimento) e para dar uma acção de formação de 3 dias sobre "políticas de emagrecimento" foi fazer decoração nova sala...

Ora onde está o lean deles?

Offline PDI

  • Mini Robot
  • *
  • Mensagens: 677
Re: Electrónica usada no seu pior (neste caso nem é usada)
« Responder #9 em: 22 de Janeiro de 2010, 21:50 »
Esses casos de má administração desvio de dinheiro é o pão nosso neste cantinho a beira mar plantado.
Mas casos que podem ser comparados, ao meu ponto de vista , seria o caso do sangue contaminado a ponte de Entre Rios, são casos que por facilitação ou suborno(luvas) perderam-se vidas e ficou tudo em aguas de bacalhau.
Alfredo Garcia