collapse

* Posts Recentes

strobe lights por Hugu
[Hoje às 00:27]


Esquema electrico de uma tv-box android? por Hugu
[Ontem às 19:58]


Silkscreen com efeitos natalícios p/ Eaglecad? por Hugu
[Ontem às 17:53]


Circuito de proteção para ferro de soldar. por vasco
[Ontem às 15:27]


Caixa de música por Hugu
[16 de Novembro de 2019, 20:26]


Robot Extreme - Lisboa Games Week 2019 por guilhermexbot
[15 de Outubro de 2019, 15:21]


tecnologias web para servidor num MCU por jm_araujo
[09 de Outubro de 2019, 14:47]


Limitador de corrente simples por jm_araujo
[08 de Outubro de 2019, 10:29]


Assemblagem de PCBs - JLCPCB por jm_araujo
[06 de Outubro de 2019, 13:46]


"Arduino vs PIC" por jm_araujo
[06 de Outubro de 2019, 13:42]

Autor Tópico: Detector de material plástico  (Lida 8333 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.

Offline Hugu

  • Mini Robot
  • *
  • Mensagens: 5.580
  • Keyboard not found. Press any key to continue.
    • [url=www.g7electronica.net]G7 Electrónica.net[/url]
Re: Detector de material plástico
« Responder #15 em: 17 de Março de 2016, 00:29 »
Touch capacitivo funciona medindo a capacidade como o nome indica, tens uma matriz que é carregada/descarregada, metes o dedo alteras o valor de capacidade tens posição, como é uma matriz que permite multiplexagem permite multi-touch e bla bla bla.
Podes fazer touch sensing com um micro-controlador com um pedaço de pcb e resistências de 1Mohm.
Sendo plástico, e pequeno, um resistivo o mais certo é não registar nada,e um capacitivo para ter sensibilidade para isso vai-te funcionar melhor como um sensor de humidade do ar de como sensor de cubos de plástico.
pode sempre usar um lcd touchscreen e revestir o cubo com o mesmo material que é usado nestas luvas pra touchscreens..

na vez de andar a inventar sensores, porque nao tornar os objectos com capacidades de sensbilidade para sensores que ja existem? :)
tb quero comissao! :P
« Última modificação: 17 de Março de 2016, 00:33 por Hugu »

Offline caxuda

  • Mini Robot
  • *
  • Mensagens: 195
Re: Detector de material plástico
« Responder #16 em: 17 de Março de 2016, 01:24 »
Começando pelo primeiro:
Artur, tal como dizes apenas cobre uma linha como é que farias para cobrir uma parede de inteira a sensor laser sendo que um cubo tem 5mm de aresta? Terias de colocar sensores de 5mm em 5mm.


Senso,
Já me tinha lembrado dos dois tipos de touchscreens. Para o que falei o sensor resistivo talvez fosse a melhor solução, mas para o resto do problema de que ainda não falei penso que "uma espécie" de sensor capacitivo seja solução.
Não percebi a parte do sensor de humidade do ar.


Olá Hugo,
Os sensores de pressão género do seguinte funcionam com plástico?

Isso parece-se bastante com um sensor resistivo.
Meter sensor não dava porque os cubos têm de ser bastante baratos, pelo que seriam feitos em moldes de plástico.



Bem, chegando até aqui com algumas soluções para o que tinha falado penso que só existem mais dois grandes problemas.

O sensor tem de ser extremamente flexível (imaginemos como uma tela ou assim) e o cubo de plástico tem de ser distinguido de outros objectos que possam atingir o sensor.
Daí ter falado em "electrificar" o plástico de alguma forma e o sensor ser uma malha eléctrica para ser capaz de distinguir um cubo duma pedra por exemplo.
Até andei a pesquisar e vi que existia plástico condutor que penso ser o mesmo das canetas touch.

Penso que quem resolver esta ultima parte resolve tudo.

Offline artur36

  • Mini Robot
  • *
  • Mensagens: 795
Re: Detector de material plástico
« Responder #17 em: 17 de Março de 2016, 06:59 »
Bom dia, vais-me desculpar mas vais ter de levar na cabeça, porque não deste logo toda a informação? Achas que ter de conseguir distinguir entre vários tipos de material v não é suficientemente importante para ser o primeiro dado a dar? Estivemos para aqui a dar ideias que não servem de todo para a aplicação.

Tens de pensar claramente numa maneira de distinguir entre os cubos e o restante material a ser "rejeitado" e depois disso é que podes pensar no resto, parece-me que não te safas sem um sistema de visão...

Acho que o problema mais importante que a maneira de detectar os cubos ainda é o modo como o sistema funciona, tens demasiadas variáveis que te complicam desnecessariamente a " contagem" dos cubos, se o processo justifica o investimento num sistema de inspecção por visão também justificaria um melhoramento ao mesmo para simplificar a contagem, por exemplo colocar os cubos num tapete minimamente alinhados onde seriam muito mais fáceis de contar.

Offline caxuda

  • Mini Robot
  • *
  • Mensagens: 195
Re: Detector de material plástico
« Responder #18 em: 17 de Março de 2016, 07:18 »
Hugu nao me entendas mal,  não disse logo porque tive a ideia ontem e fui-me lembrando dos problemas e arranjando soluções.

Essa questão de ter de diferenciar os cubos de outros objectos até foi um amigo meu que me alertou e postei logo.


Eu gostaria que fosse um sistema mais simples do que o da visão para não trazer tanto desenvolvimento e gastos. Daí a minha ideia que até agora ninguém me disse que não funcionava.

Offline KammutierSpule

  • Mini Robot
  • *
  • Mensagens: 1.321
Re: Detector de material plástico
« Responder #19 em: 17 de Março de 2016, 09:14 »
Realmente seja o que isso for esta cheio de variaveis :O
Continuando com o jogo das 40 perguntas, quais sao os materiais possiveis? Os cubos sao de metal? mas a base eh de plastico?

A unica maneira de resolveres o problema 'e eleminar variaveis. Os problemas tem de ser reduzidos a alguma situacao simples, portanto ah alguma coisa ai que tem de ser revista para criar menos variaveis (== constrangimentos tecnicos e fisicos)

Outra pergunta, entao e a concorrencia como e' que faz ? :) Nao acredito que isso seja algo de novo...

Offline jm_araujo

  • Mini Robot
  • *
  • Mensagens: 2.551
  • NERD!
Re: Detector de material plástico
« Responder #20 em: 17 de Março de 2016, 10:57 »
Daí a minha ideia que até agora ninguém me disse que não funcionava.

Tenho de ser o primeiro? Aqui vai: A tua ideia não funciona.

Eletricidade estática é manhosa de se lidar. Dependes de variáveis ambientais: humidade, temperatura, poluentes (zona com fumo p.ex). Para carregar os cubos ou usas um mecanismo eletrostático, com veludos e escovas metálicas, à lá  Van der Graff ou Wimshurst, ou usas muito alta tensão (dezenas de kV), que só por si são uma fonte infindável de problemas. Se conseguires carregar os cubos e não eletrocutar ninguém no processo, tens o problemas de como lidas com eles a seguir. Se tocar em algum objeto que não seja dielétrico ou numa pessoa vão perder a carga.
Imaginemos que consegues passar esses obstáculos, a placa que passou de ter de ser extremamente flexível,  vai ter de estar completamente isolada exceto pelo circuito detector, que vai também de dissipar a carga que vai acumulando com cada impacto porque se ficar carregada deixa de haver diferença de potência para detetar. Como estamos a falar de cargas eletróstaticas é um isolamento que tem de ser muito bem feito: poeiras e humidades no sistema de fixação e já era.

Até agora falei da parte fácil. Agora detetar um impacto: Como é que vais saber que o cubo tocou na tela? Para a carga passar do cubo para a placa/tela tens de fechar o circuito por algures. O único percurso que tens para fechar o circuito é o ar, que se fosse bom condutor dissipava-te a carga antes de atingir o alvo (pescadinha de rabo na boca). Se não entendes o conceito, pensa nos pássaros pousados nos cabos de alta tensão. Não sofrem um choque porque não fecham o circuito para acontecer uma tranferência de carga (corrente). Admito que possa haver uma pequena carga que se transfira, mas ao existir o seu valor obriga-te a detetores extremamente sensíveis, e depois ficas com o problema que vão detetar todo o género de ruído que possa haver onde se encontra esse sistema.


A mim um sistema de visão parece-me a melhor opção. Falas de trabalho de desenvolvimento e custos, mas depois entras em contradição com um sistema eletrostatico que teria de ser extremamente complexo que  gostava de ver um proof-of-concept a funcionar. E falas em cubos de plástico que tem de ser baratos, feitos em moldes. Isso só é barato ao tratar-se de quantidade enormes (milhares), o setup de moldes de plástico de injeção são umas milenas largas de €. Um sistema de visão o tem um preço em conta, o SW só se tem de desenvolver uma vez, com a vantagem de se ficar mal feito é fácil corrigir, ao contrário de sistemas baseados em HW


Dito isso, e porque também não quero jogar às 40 perguntas, não entendo qual o problema em partilhar o projeto de forma menos vaga. Existe o mito que as ideias é que valem dinheiro, mas não é mesmo mais que isso, um mito. O cemitério das start-ups e crowd funding está cheio de excelentes ideias que falharam pela mesma razão: implementação. É preciso saber o que se está a fazer, como fazê-lo, e empenhar-se a sério na sua execução para que uma boa ideia possa ser um bom negócio. Se quiseres fazer um crash-course nesta matéria, vê umas temporadas do Shark-tank: passam por lá carradas de boas ideias, mas só investem em projetos que já tenham evoluido muito para além disso.
Eu costumo dizer meio na brincadeira meio a sério que de ideias geniais está a TV Shop cheia...

Offline caxuda

  • Mini Robot
  • *
  • Mensagens: 195
Re: Detector de material plástico
« Responder #21 em: 17 de Março de 2016, 14:59 »
Os cubos têm sempre de ser de plastico. Mas poderão ser em qualquer tipo de plástico desde que seja duro. Por isso falei em plástico condutor.
A concorrência não existe na área em que quero aplicar pelo menos, se utilizam a mesma tecnologia para plantar batatas isso já não faço ideia.

Daí a minha ideia que até agora ninguém me disse que não funcionava.

Tenho de ser o primeiro? Aqui vai: A tua ideia não funciona.

Eletricidade estática é manhosa de se lidar. Dependes de variáveis ambientais: humidade, temperatura, poluentes (zona com fumo p.ex). Para carregar os cubos ou usas um mecanismo eletrostático, com veludos e escovas metálicas, à lá  Van der Graff ou Wimshurst, ou usas muito alta tensão (dezenas de kV), que só por si são uma fonte infindável de problemas. Se conseguires carregar os cubos e não eletrocutar ninguém no processo, tens o problemas de como lidas com eles a seguir. Se tocar em algum objeto que não seja dielétrico ou numa pessoa vão perder a carga.
Imaginemos que consegues passar esses obstáculos, a placa que passou de ter de ser extremamente flexível,  vai ter de estar completamente isolada exceto pelo circuito detector, que vai também de dissipar a carga que vai acumulando com cada impacto porque se ficar carregada deixa de haver diferença de potência para detetar. Como estamos a falar de cargas eletróstaticas é um isolamento que tem de ser muito bem feito: poeiras e humidades no sistema de fixação e já era.

Até agora falei da parte fácil. Agora detetar um impacto: Como é que vais saber que o cubo tocou na tela? Para a carga passar do cubo para a placa/tela tens de fechar o circuito por algures. O único percurso que tens para fechar o circuito é o ar, que se fosse bom condutor dissipava-te a carga antes de atingir o alvo (pescadinha de rabo na boca). Se não entendes o conceito, pensa nos pássaros pousados nos cabos de alta tensão. Não sofrem um choque porque não fecham o circuito para acontecer uma tranferência de carga (corrente). Admito que possa haver uma pequena carga que se transfira, mas ao existir o seu valor obriga-te a detetores extremamente sensíveis, e depois ficas com o problema que vão detetar todo o género de ruído que possa haver onde se encontra esse sistema.


A mim um sistema de visão parece-me a melhor opção. Falas de trabalho de desenvolvimento e custos, mas depois entras em contradição com um sistema eletrostatico que teria de ser extremamente complexo que  gostava de ver um proof-of-concept a funcionar. E falas em cubos de plástico que tem de ser baratos, feitos em moldes. Isso só é barato ao tratar-se de quantidade enormes (milhares), o setup de moldes de plástico de injeção são umas milenas largas de €. Um sistema de visão o tem um preço em conta, o SW só se tem de desenvolver uma vez, com a vantagem de se ficar mal feito é fácil corrigir, ao contrário de sistemas baseados em HW


Dito isso, e porque também não quero jogar às 40 perguntas, não entendo qual o problema em partilhar o projeto de forma menos vaga. Existe o mito que as ideias é que valem dinheiro, mas não é mesmo mais que isso, um mito. O cemitério das start-ups e crowd funding está cheio de excelentes ideias que falharam pela mesma razão: implementação. É preciso saber o que se está a fazer, como fazê-lo, e empenhar-se a sério na sua execução para que uma boa ideia possa ser um bom negócio. Se quiseres fazer um crash-course nesta matéria, vê umas temporadas do Shark-tank: passam por lá carradas de boas ideias, mas só investem em projetos que já tenham evoluido muito para além disso.
Eu costumo dizer meio na brincadeira meio a sério que de ideias geniais está a TV Shop cheia...
Jm_Araújo obrigado por teres sido o primeiro.
Pois, achava que seria sempre mais barato um sistema destes que um de visão. Para além disso seria mais fácil para mim desenvolvê-lo.
Quanto aos moldes, eles já existem.
Quando falam em.sistema de visão falam em cameras certo?

Não tenciono partilhar a ideia muito sinceramente, para além de que estaria num espaço público que toda a gente pode ver e isso não faz qualquer sentido.
Estou a pedir ajuda nestas condições e compreendo perfeitamente que não queiram participar deste modo.
Em relação ao resto do "parágrafo", não queria enverdar a conversa para esse assunto. Eu agora só queria descobrir se isto é fazível e de que modo.

Offline KammutierSpule

  • Mini Robot
  • *
  • Mensagens: 1.321
Re: Detector de material plástico
« Responder #22 em: 17 de Março de 2016, 16:57 »
Tenho um amigo, que me disse que tinha uma ideia incrivel (devia ser algo baseado nos "movimentos perpetuos", mas acho que nao era do Carlos Paredes... ) para um tipo de transporte de longas distancias para pessoas, que consumiria muito pouca energia e que serial grande revolucao. Mas que seria muito custoso para implementar.
Ele diz que nao queria partilhar a ideia com ninguem... a ver se algum dia podia ter maneira de avancar com a ideia. Partilhou so com a mulher para testar a ideia (ver se era fazivel) e ela disse que sim que fazivel e nao via problemas...

"Ja partilhaste com a tua mulher a ideia?"  ::)

... eu nao vi nenhum novo sistema de transporta revolucionario e o meu amigo continua a trabalhar na mesma area ...

Offline gadelhas

  • Mini Robot
  • *
  • Mensagens: 48
Re: Detector de material plástico
« Responder #23 em: 17 de Março de 2016, 17:33 »
Tenho um amigo, que me disse que tinha uma ideia incrivel (devia ser algo baseado nos "movimentos perpetuos", mas acho que nao era do Carlos Paredes... ) para um tipo de transporte de longas distancias para pessoas, que consumiria muito pouca energia e que serial grande revolucao. Mas que seria muito custoso para implementar.
Ele diz que nao queria partilhar a ideia com ninguem... a ver se algum dia podia ter maneira de avancar com a ideia. Partilhou so com a mulher para testar a ideia (ver se era fazivel) e ela disse que sim que fazivel e nao via problemas...

"Ja partilhaste com a tua mulher a ideia?"  ::)

... eu nao vi nenhum novo sistema de transporta revolucionario e o meu amigo continua a trabalhar na mesma area ...

O teu amigo inventou o Hyperloop.... O mal foi ele ter contado à mulher... a mulher contou ao Elon Musk!  ;D ;D ;D ;D
Obrigado.

Abraço
gadelhas

Offline caxuda

  • Mini Robot
  • *
  • Mensagens: 195
Re: Detector de material plástico
« Responder #24 em: 17 de Março de 2016, 17:41 »
Respondendo por mero facilitismo e para não fugir ao tópico. Obrigado pela preocupação/lição de moral, mas eu só estou aqui mesmo a pedir ajuda para resolver um problema de electronica.




Um sensor de visão colocado na parede seria capaz de garantir se o objecto chegou ou não a tocar na parede? E seria possível definir os limites da parede para o caso do objecto passar ao lado da mesma?

Offline Hugu

  • Mini Robot
  • *
  • Mensagens: 5.580
  • Keyboard not found. Press any key to continue.
    • [url=www.g7electronica.net]G7 Electrónica.net[/url]
Re: Detector de material plástico
« Responder #25 em: 17 de Março de 2016, 19:32 »
Hugu nao me entendas mal,  não disse logo porque tive a ideia ontem e fui-me lembrando dos problemas e arranjando soluções.
Levo a mal porque trocaste o meu nome pelo do artur! lol
mas estou como o artur, depois de tanto tempo, so agora é que disseste que ha a necessidade em distinguir esses cubos de plastico de outros objectos!.. tb ainda nao deu pra perceber se queres ler posição do cubo numa parede(sup rigida)? tela?(superficie mole)? superficie que varia? ou é unica? se podes aldulterar a tela/ou mesmo o cubo? se o cubo de plastico é mm um cubo? só pode ser dum material ou podes modificar o material ou mm a estrutura do cubo? o cubo vai ser atirado com força ou nao? se o cubo fica "colado" à tela ou se simplesmente ressalta para fora/baixo? tela vai estar na vertical ou na horizontal? é pra detectar um cubo de cada vez? é para ser um sistema movel ou fixo?... nao precisas de explicar qual é o problema exacto ou se procuras uma soluçao particular ou geral, lowcost ou com limite orçamental..mas convinha saber as condiçoes base
qual a precisao minima da tela? idem prá força de impacto? ..tempo de contacto minimo?

Citar
Eu gostaria que fosse um sistema mais simples do que o da visão para não trazer tanto desenvolvimento e gastos. Daí a minha ideia que até agora ninguém me disse que não funcionava.
claro que funciona, mas nao ha câmaras e câmaras, e algoritmos e algoritmos..podes usar camaras de alta definiçao, software pra detectar o cubo (mediante a cor, forma..)...como sao usados para saberem a posiçao dos drones no espaço...tb podes até evitar a tela fisica e definir uma tela virtual..
Ou podes usar apenas barreiras laser na vertical e horizontal para detectar a posição..

off-topic:
O teu amigo inventou o Hyperloop.... O mal foi ele ter contado à mulher... a mulher contou ao Elon Musk!  ;D ;D ;D ;D
ele n inventou nada, apenas está a tentar por em pratica um sistema que aparece no futurama, que ja antes tb apareceu no filme o 5º elemento, e antes disso ja era usado em submarinos ou barcos no tempo em que nao existiam telefones e faziam chegar mensagens/ordens de comando entre varios sitios/postos dos navios onde as mensagens escritas em papel eram metidas num tubo fechado e esse tubo percorria uma canal movido por diferenças de pressoes.. e entao o problema é mm implementar a ideia e torná-la rentável. Pra quem é ziga-milionario é facil levar as ideias à avante ou mm conseguir apoio de terceiros para a mesma ideia. As coisas enqto sao novidade são rentáveis, mas nao é por si só a chave do negocio. Tanto é que quer criar shoppings e cidades à volta do mega sistema de transporte..
« Última modificação: 17 de Março de 2016, 21:07 por Hugu »

Offline senso

  • Global Moderator
  • Mini Robot
  • *****
  • Mensagens: 9.617
  • Helpdesk do sitio
Re: Detector de material plástico
« Responder #26 em: 17 de Março de 2016, 19:48 »
Respondendo por mero facilitismo e para não fugir ao tópico. Obrigado pela preocupação/lição de moral, mas eu só estou aqui mesmo a pedir ajuda para resolver um problema de electronica.




Um sensor de visão colocado na parede seria capaz de garantir se o objecto chegou ou não a tocar na parede? E seria possível definir os limites da parede para o caso do objecto passar ao lado da mesma?

+/-
Continuas a explicar a tua solução para o problema e como a fazer funcionar e não qual o problema que queres solucionar.
Avr fanboy

Offline artur36

  • Mini Robot
  • *
  • Mensagens: 795
Re: Detector de material plástico
« Responder #27 em: 17 de Março de 2016, 20:33 »
É PAH já te demos uma série de ideias, mas sem mais dados é difícil ajudar.
Aceito a tua opinião de não partilhares o projecto em público (mesmo não concordando, pelo menos das minha parte não tenho qualquer interesse em roubar-to) mas deve entender que ninguém te consegue dar uma AJUDA A ENCONTRARES a solução ideal para o problema sem conhecer minimamente o processo, se não conhecemos o processo não sabemos factores externos ou mesmo intrínsecos ao próprio processo que podem afectar a solução, e não sabemos que atalhos podem ser tomados para contornar as dificuldades.

Concorrência não acredito que não exista, pode não ser exactamente igual mas de certeza que existem outras empresas com problemas idênticos já resolvidos, no mundo industrial restam-te "duas hipóteses" ou compras o que já existe ou análisas a concorrência e vês o que podes melhorar. Pela parca descrição que fizeste vem- me logo à cabeça peças de LEGO, se não for isso que "produzes" será algo muito semelhante, por isso toca a procurar vídeos no YouTube das fábricas deles e tentar encontrar a parte interessante.

Como já disse o teu problema ainda tem muitas condicionantes, tens de eliminar uma a uma até só te restar a detecção dos cubos e aí é simples.

Para dar uma última ajuda pensa bem nestes pontos e vê o que podes melhorar no processo:
O bater na parede é mesmo essencial?
É essencial saber se bateu na parede?
Os objectos estranhos são contaminantes do processo, "poeira no ar" ou partes do corpo dos operadores?
É essencial distinguir entre cubos ou objectos estranhos?
O ponto de detecção pode ser mudado?

Offline caxuda

  • Mini Robot
  • *
  • Mensagens: 195
Re: Detector de material plástico
« Responder #28 em: 17 de Março de 2016, 22:39 »
Hugu nao me entendas mal,  não disse logo porque tive a ideia ontem e fui-me lembrando dos problemas e arranjando soluções.
Levo a mal porque trocaste o meu nome pelo do artur! lol
mas estou como o artur, depois de tanto tempo, so agora é que disseste que ha a necessidade em distinguir esses cubos de plastico de outros objectos!.. tb ainda nao deu pra perceber se queres ler posição do cubo numa parede(sup rigida)? tela?(superficie mole)? superficie que varia? ou é unica? se podes aldulterar a tela/ou mesmo o cubo? se o cubo de plastico é mm um cubo? só pode ser dum material ou podes modificar o material ou mm a estrutura do cubo? o cubo vai ser atirado com força ou nao? se o cubo fica "colado" à tela ou se simplesmente ressalta para fora/baixo? tela vai estar na vertical ou na horizontal? é pra detectar um cubo de cada vez? é para ser um sistema movel ou fixo?... nao precisas de explicar qual é o problema exacto ou se procuras uma soluçao particular ou geral, lowcost ou com limite orçamental..mas convinha saber as condiçoes base
qual a precisao minima da tela? idem prá força de impacto? ..tempo de contacto minimo?

Citar
Eu gostaria que fosse um sistema mais simples do que o da visão para não trazer tanto desenvolvimento e gastos. Daí a minha ideia que até agora ninguém me disse que não funcionava.
claro que funciona, mas nao ha câmaras e câmaras, e algoritmos e algoritmos..podes usar camaras de alta definiçao, software pra detectar o cubo (mediante a cor, forma..)...como sao usados para saberem a posiçao dos drones no espaço...tb podes até evitar a tela fisica e definir uma tela virtual..
Ou podes usar apenas barreiras laser na vertical e horizontal para detectar a posição..

off-topic:
O teu amigo inventou o Hyperloop.... O mal foi ele ter contado à mulher... a mulher contou ao Elon Musk!  ;D ;D ;D ;D
ele n inventou nada, apenas está a tentar por em pratica um sistema que aparece no futurama, que ja antes tb apareceu no filme o 5º elemento, e antes disso ja era usado em submarinos ou barcos no tempo em que nao existiam telefones e faziam chegar mensagens/ordens de comando entre varios sitios/postos dos navios onde as mensagens escritas em papel eram metidas num tubo fechado e esse tubo percorria uma canal movido por diferenças de pressoes.. e entao o problema é mm implementar a ideia e torná-la rentável. Pra quem é ziga-milionario é facil levar as ideias à avante ou mm conseguir apoio de terceiros para a mesma ideia. As coisas enqto sao novidade são rentáveis, mas nao é por si só a chave do negocio. Tanto é que quer criar shoppings e cidades à volta do mega sistema de transporte..

Hugu, já expliquei que tive a ideia ontem e que me fui lembrando de problemas e arranjando soluções, assim que pude postei.

Não quero saber a localização onde o cubo acerta na tela. Só quero ter um input do momento em que acerta, mais nada.

A zona que o cubo atinge tem de ser extremamente mole, daí ter falado numa tela, mas podemos falar de um pano por exemplo.
Sim a superfície varia, daí ter de se maleável.
Como assim adulterar a tela/cubo? Não tem de ser uma tela.
O cubo tem sempre de ser de plástico rijo.
A força de impacto do cubo varia. Temos de contar com uma baixa força de impacto.
O cubo não fica colado à tela, bate e ressalta.
Se percebi bem esta pergunta, a "tela" pode estar na vertical e na horizontal porque poderá estar dobrada.
Sim é para detectar um cubo de cada vez.

A precisão mínima da tela/outro material não consigo especificar, quanto mais sensível melhor.
O tempo de contacto mínimo também não consigo responder mas é muito muito baixo, mandando uma posta diria uns 200ms.

Claro que tens de saber as condições base, pergunta o que quiseres que eu respondo ao que conseguir.


Respondendo por mero facilitismo e para não fugir ao tópico. Obrigado pela preocupação/lição de moral, mas eu só estou aqui mesmo a pedir ajuda para resolver um problema de electronica.




Um sensor de visão colocado na parede seria capaz de garantir se o objecto chegou ou não a tocar na parede? E seria possível definir os limites da parede para o caso do objecto passar ao lado da mesma?

+/-
Continuas a explicar a tua solução para o problema e como a fazer funcionar e não qual o problema que queres solucionar.

Eu percebo o que estás a dizer LOL. Estou a tentar simplificar ao máximo.
Tens alguma sugestão para além de partilhar o objectivo final disto?


É PAH já te demos uma série de ideias, mas sem mais dados é difícil ajudar.
Aceito a tua opinião de não partilhares o projecto em público (mesmo não concordando, pelo menos das minha parte não tenho qualquer interesse em roubar-to) mas deve entender que ninguém te consegue dar uma AJUDA A ENCONTRARES a solução ideal para o problema sem conhecer minimamente o processo, se não conhecemos o processo não sabemos factores externos ou mesmo intrínsecos ao próprio processo que podem afectar a solução, e não sabemos que atalhos podem ser tomados para contornar as dificuldades.

Concorrência não acredito que não exista, pode não ser exactamente igual mas de certeza que existem outras empresas com problemas idênticos já resolvidos, no mundo industrial restam-te "duas hipóteses" ou compras o que já existe ou análisas a concorrência e vês o que podes melhorar. Pela parca descrição que fizeste vem- me logo à cabeça peças de LEGO, se não for isso que "produzes" será algo muito semelhante, por isso toca a procurar vídeos no YouTube das fábricas deles e tentar encontrar a parte interessante.

Como já disse o teu problema ainda tem muitas condicionantes, tens de eliminar uma a uma até só te restar a detecção dos cubos e aí é simples.

Para dar uma última ajuda pensa bem nestes pontos e vê o que podes melhorar no processo:
1 O bater na parede é mesmo essencial?
2 É essencial saber se bateu na parede?
3 Os objectos estranhos são contaminantes do processo, "poeira no ar" ou partes do corpo dos operadores?
4 É essencial distinguir entre cubos ou objectos estranhos?
5 O ponto de detecção pode ser mudado?

1 É essencial bater na "tela"
2 É essencial saber que bateu
3 Não percebi
4 Acho que não é essencial distinguir pela forma, mas sim pelo material.
5 Como assim?

Façam mais perguntas, acho que assim podemos lá chegar.


Obrigado :)

Offline senso

  • Global Moderator
  • Mini Robot
  • *****
  • Mensagens: 9.617
  • Helpdesk do sitio
Re: Detector de material plástico
« Responder #29 em: 17 de Março de 2016, 22:45 »
Como é que eu tenho alguma ideia se não faço a minima ideia do que estás a falar?
Se é que realmente são cubos, ou se isso é uma analogia para outra coisa qualquer..
Avr fanboy